Aguarde...

Noticias

Vendas na Páscoa caem e setor projeta prejuízo em 2020

Associação dos Supermercados alerta que o poder de compra dos consumidores diminuiu com a crise do novo coronavírus

| ACidadeON/Araraquara

Ovos de páscoa nos supermercados de Araraquara (Foto: Amanda Rocha/ACidadeON)
 
A Páscoa que já não tinha perspectivas otimistas para 2020 sofrerá mais uma vez com quedas acentuadas nas vendas de ovos de chocolate e outros itens relacionados à data, como os peixes, por exemplo. A previsão que era de aumento de 2,2% esbarrou na pandemia do novo coronavírus. 

Segundo Rodrigo Canesin, diretor regional da Associação Paulista de Supermercados (APAS), as famílias estão priorizando itens considerados essenciais, o que deve provocar uma retração de 10% nas vendas em relação ao ano passado. 

"A economia estava tentando se recuperar e a perspectiva já não era de grandes vendas. Com essa crise, a gente percebe que o poder de compra das famílias diminuiu", explica Canesin.  

Em uma rede de supermercados com duas lojas em Araraquara, a meta é ao menos manter as vendas de 2019. De acordo com a diretora operacional da rede, Ana Paula Figueira , a empresa está trabalhando com o estoque comprado no início do ano e que não precisou ser reposto. "O consumidor não tem pensado muito em despender o próprio dinheiro em produtos diferenciados, como um ovo de Páscoa, que tem um preço mais elevado", justifica. 

Situação diferente em outra rede com três supermercados na cidade. Dos 15 itens relacionados à Páscoa, a maior parte tem previsão de 16% aumento. 

Para José Sarrassini, diretor operacional da rede, uma das explicações está no preço dos produtos, que está mais barato e deve impulsionar o consumo.  

"A nível de volume, projetamos um crescimento de 20% nas vendas, mas isso representa apenas um aumento de 16% no faturamento, já que os produtos estão, em média, 4% mais baratos", justifica Sarrassini. "O único item que deve ter queda é o bacalhau, algo em torno de 20%", completa. 

Outra explicação, segundo Sarrassini, está na migração de clientes das lojas especializadas para os supermercados. "Neste momento, os supermercados estão substituindo as lojas de centro, de shopping, e estão fazendo as vendas em um nível maior", acredita.  

É justamente esta percepção da empresária Lorena Tucci. Ela tem uma loja especializada no Centro de Araraquara que já registra queda de 30% nas vendas, em relação ao ano passado. "Facilitamos a forma de pagamento, aumentamos as promoções e reduzimos a margem de lucro para atender a real situação que estamos encontrando", afirma a empresária.

Mais do ACidade ON