Aguarde...

Noticias

Preço do combustível cai nos postos em meio à pandemia

Redução do valor nas bombas já pode ser sentida no bolso dos consumidores de Araraquara

| ACidadeON/Araraquara

 

O preço do combustível em Araraquara teve queda nos últimos dias. De acordo com o levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o valor médio do litro da gasolina em uma semana para o consumidor recuou 2,31%, chegando a R$ 4,298. Já o preço do litro do diesel caiu 1,6% neste mesmo período, para R$ 3,437, em média. O litro do etanol recuou 3,2%, para R$ 3,039. 

Nas bombas, os consumidores já notaram a diferença. Na semana passa a dona de casa Aline Sponton, de 46 anos, conta que percebeu uma redução de 30 centavos o litro. 

"A última vez que abasteci meu carro paguei R$ 2,99 o litro e gastei na faixa de R$ 115. Hoje estou aqui abastecendo e está custando R$ 2,69 o litro do etanol e eu gastei R$ 85. Esse preço poderia estender mais para frente, quando tudo ficar bem e passar toda essa crise, mas infelizmente sabemos que o preço só vai subir", afirma.

O consultor de serviços Rogério Gonçalves, de 43 anos, também chegou a pagar R$ 2,99 no litro do etanol. Mas, hoje, conseguiu um preço bem mais baixo, economizando aproximadamente 40 centavos. 

"Passei nesse posto na semana passada e o etanol estava R$ 2,99 e achei até caro. Hoje passei novamente nesse mesmo posto e, inclusive, tem até fila para abastecer, porque está R$ 2,58. Que bom, espero que o preço abaixe mais ainda", defende.

A reportagem percorreu na tarde dessa quinta-feira (9) ao menos 10 postos de combustíveis de Araraquara. Foi possível encontrar uma variação no litro do etanol entre R$ 2,78 a R$ 2,58. Uma diferença razoável no preço, considerando que em alguns postos na cidade, na semana passada, o consumidor pagava R$ 3,09 o litro. 

A ANP explica que os preços variam de acordo com a região. No acumulado do ano, a gasolina tem queda de 5,7%, o diesel já caiu 8,3% e o etanol recuou 3,7%. 

O presidente regional do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo (Sincopetro) Miguel Fernando Aiello Fonari, também fala sobre a diferença de preço entre as cidades. 

"Há regiões que caem mais, outras que demoram um pouco menos para cair. E as vezes quando reajusta também, tem regiões que fazem antes e outras que ajustam depois", explica.

Segundo Miguel Fernando, a queda no valor do etanol se dá, entre outros fatores, por conta do período de safra. 

"O etanol tem dois fatores. Tem esse fator que é a redução da gasolina, que chegou antes da pandemia e tem o outro fator que é o início da safra. Todo ano quando a safra está para iniciar, normalmente há uma redução no custo do álcool, ele cai e aí inciasse a safra, dizem que os usineiros fazem isso para ter caixa e iniciar os trabalhos e quando o preço cai, uns dias depois volta a subir um pouco".

Na cidade, a gasolina chegou a ser encontrada pelo valor de R$ 4,49 a média do litro. Hoje, o consumidor se deparou com preços que variam entre R$ 3,99 a R$ 3,97. Para o presidente do Sincopetro, a pandemia também contribui pra essa queda. 

"A gasolina foi em função da queda do barril do petróleo, com o problema da bolsa fez com que ela caísse. E também a pandemia que está atrelada ao consumo, então automaticamente ela puxa também o preço do etanol, porque o consumidor vai no mais competitivo e se a gasolina cai, o etanol tem que cair, se não migra as vendas para gasolina", finaliza.

Mais do ACidade ON