Aguarde...

ACidadeON Araraquara

Araraquara
mín. 20ºC máx. 36ºC

Espaço do leitor: Recomeçar eu vou, desanimar jamais

Rodrigo Soró, torcedor fanático da Ferroviária escreve sobre início da Locomotiva na Série D do Brasileiro

| ACidadeON/Araraquara

Roque Júnior entre assistente técnico e treinador da Ferroviária, Vinicius Munhoz. (Foto: Thiago Carvalho / Assessoria de Imprensa Ferroviária)

Tem um samba das antigas da Jovelina Perola Negra que diz :Recomeçar eu vou,desanimar jamais. E é com esta letra que retorno depois de quase 20 dias de descanso para falar da nossa gloriosa Ferroviária no ACidade ON.   

A boa vitória na estreia diante do Joinville - em noite de homenagem a Ignácio de Loyola Brandão -, onde o time fez um primeiro tempo apagado, mas com direito a defesa de pênalti de Gabriel Leite e boas chances no ataque, somada a derrota para o Avenida, da distante Santa Cruz do Sul, faz com que recomeçamos no Brasileirão e tenhamos calma para não desanimar.  

É preciso dar mais um voto de confiança ao Dom Munhoz, nosso xerife Salmazo e Capitão Roque Júnior, que garantiram excelentes campanhas na Copa Paulista 2018 e no Paulistão 2019 mesmo com equipes formadas em cima da hora. Assim como encantamos no Paulista, vamos encantar o Brasil, podem ter certeza. 

O ano era 1983. Eu tinha apenas oito anos e me lembro do meu cunhado que me levou em uma tarde chuvosa de domingo para assistirmos a Ferroviária contra o Grêmio. Na Fonte Luminosa tudo igual no placar. Lá, no imponente estádio Olímpico, vencemos o poderoso time gaúcho por 3 a 1 e eliminamos o time que mais tarde se tornou campão mundial. 

Mais tarde, ficamos entre os oito melhores do Brasil e revelamos grandes craques, como por exemplo, Abelha, Douglas Onça, Balu, Marcão, Marco Antonio - que são meus amigos e depois de anos fiquei sabendo pelo presidente Parelli que na festa de encerramento daquele ano negociou o Abelha com o Flamengo do presidente Márcio Braga. 

Goleiro Abelha ao lado do presidente Carlos Salmazo. (Foto: Divulgação/Ferroviária)

Agora. precisamos fazer um bom jogo em Maringá, que terá a torcida afeana prestigiando, e não vacilar nos dois jogos na nossa casa, que estará cheia e com apoio incondicional da massa - aliás, agora com liberação dos instrumentos, faixas e bandeiras, somados ao sócio Ferrão teremos torcedor incentivando até o fim -, temos tudo para subir novamente.  

O caminho é árduo e duro, mas depois temos a série C e a B, o que para nós seria uma honra. Mas, o que queremos mesmo é a série A e encerro este texto com uma frase célebre que um dia viajando para Presidente Prudente com meu amigo e compadre Carlos Porto, o Dado, vimos em um carro: "Lutar sempre, vencer talvez, desanimar jamais". 

A hora é agora. Arrepia e apita Locomotiva! A maior do interior sempre!  

Vamos que vamos! A torcida não pára, 24 horas!

Torcida da Ferroviária no Pacaembu, no duelo com o São Paulo, pelo Paulistão 2019. (Foto: Colaboração/Tetê Viviani)