Como em um jogo de tabuleiro, a Ferroviária é o pino mais avançado

João Vitor Segura, torcedor apaixonado, analisa a primeira fase da Locomotiva Grená na Série D

| ACidadeON/Araraquara -

Ferroviária é líder do grupo A6 da Série D do Campeonato Brasileiro (Foto: Divulgação/Tiago Pavini/AFE)

Nas últimas duas rodadas que fechariam o primeiro turno do Campeonato Brasileiro da Série D, a Locomotiva teve desempenhos ruins, mas somou importantes pontos na briga pela classificação e pela liderança. 

Contra dois times mineiros, a Ferroviária bateu o Patrocinense em Araraquara pelo placar mínimo, mas desperdiçou muitas chances e só empatou contra o Boa Esporte, em Varginha. 

Pelo jogo em casa, a Locomotiva grená não fez o seu melhor jogo, mas saiu vitoriosa após um belo gol de Bernardo, após um passe monumental de Nando Carandina. O fato importante deste confronto é: quando o coletivo não funciona, o individual resolve. 

Se não fosse a visão excepcional de Nando, que retornou após uma grave lesão sofrida durante o Paulistão, somada a estrela brilhante do contestado, quando foi contratado, lateral Bernardo, que é visto por muitos como principal destaque desse time, o gol não sairia e os três pontos não seriam afeanos. 

Porém, neste mesmo embate, Guilherme Bala foi substituído aos 20 minutos de jogo e PH tomou o terceiro cartão amarelo. Ambos os jogadores seriam desfalques em um dos jogos mais importantes para a Ferroviária no primeiro turno, o confronto frente ao Boa Esporte. 

Abrindo um parêntese no meio da resenha, o mesmo atacante de beirada Guilherme Bala, que vinha jogando mais centralizado com Elano no comando técnico grená, pode estar de saída para o Oriente Médio. Com uma proposta que não fora revelada, o atacante deixará uma lacuna no setor ofensivo, em caso de saída, que atualmente não conta com reserva ao nível de Bala para a posição. 

Dando continuidade ao Campeonato Brasileiro da Série D, a Ferroviária visitou o Boa Esporte pela sétima rodada do grupo A6. Em um jogo pouco inspirado de ambas as equipes, o esquadrão grená retornou para Araraquara com apenas um ponto na bagagem. 

As péssimas condições do gramado mineiro, somado ao dia ruim dos atacantes, principalmente Léo Castro, além das poucas alterações de Elano durante o jogo foram pilares cruciais do mal jogo afeano. 

Os não-domínios devido ao péssimo relvado, os diversos gols perdidos que fizeram falta e o iminente cansaço dos jogadores pelas poucas alterações se mostraram os elos das correntes que desencadeou no empate grená. 

Porém, apesar do mau jogo, o cenário é muito positivo: a Locomotiva Grená não toma um singular gol a seis jogos e tem a segunda melhor defesa do campeonato. Além da defesa, que é marcada pela sempre pertinente trinca de zagueiros, o ataque da Locomotiva não chega a ser o mais "matador" do campeonato e sequer do grupo, mas é muito positivo com 13 gols pró, enquanto o melhor ataque possui 15 tentos. 

Como em um jogo de tabuleiro, tal qual o Banco Imobiliário, a Locomotiva é o pino mais avançado em seu grupo, visto que é detentora da liderança de sua chave. Além disso, é a que detém a maior constância e a que menos tropeçou entre as participantes dentro de seu conjunto. 

Por isso, a Locomotiva vê o seu caminho a seguir de forma positiva, o returno pode e deve ser igual ao turno, ou seja, a Ferroviária provavelmente seguirá na liderança e irá carimbar sua vaga para o mata-mata da Série D e quem sabe, brigar pelo acesso à Série C.