O povo (não) está feliz, (não) tem futebol, com a Ferroviária

A Locomotiva não vem sendo o time que era o bicho-papão na Série D, mas pode voltar a ser com algumas alterações do técnico Carpini e mais comprometimento do próprio elenco

| ACidadeON/Araraquara -

Técnico Thiago Carpini está pressionado no comando da Ferroviária (Foto: Ferroviária S/A)


No último sábado (14) a Ferroviária recebeu a Inter de Limeira e só empatou em casa, diante de poucos torcedores afeanos. Atualmente, a Locomotiva ocupa a sexta colocação do grupo, estando um ponto atrás do Leão, presente na quarta posição do grupo A6. 


Acontece que, mais uma vez, a Ferroviária fez um jogo abaixo do esperado, deixando os torcedores em dúvida com o futuro da equipe na competição. Não faria sentido a equipe grená ter um elenco bem preparado e sofrer em jogos fáceis. 


Neste jogo, a Locomotiva saiu vencendo e jogando melhor, sendo a principal equipe do encontro nos primeiros 45 minutos. Porém, no segundo tempo o desempenho decaiu muito e, após mais erros defensivos, a Inter de Limeira empatou a partida. 


Ambos os times erraram muito na primeira etapa, a diferença é que a Ferroviária soube aproveitar, minimamente, os erros da equipe alvinegra. Bruno Xavier dominou a bola perdida pela zaga limeirense, ficou sem ângulo, mas conseguiu abrir o placar em Araraquara. 


Dessa forma, a Ferroviária até fez por merecer sair vitoriosa na primeira metade do jogo. Mas, o segundo tempo deixou em dúvida sobre esse favoritismo afeano na partida contra a equipe de Limeira. 


No segundo tempo a Inter voltou determinada a empatar a partida, mas mesmo assim a Ferroviária teve as melhores oportunidades. Em uma delas, Rafael Pin defendeu um chute e repôs a bola rápido, que chegou em Caxito, empatando a partida. 


Vale ressaltar que, novamente, o gol sofrido foi originário de uma bola aérea que contou com erro da dupla de zaga, composta por Carlão e Léo Silva. O curioso é que ambos os jogadores fizeram um bom primeiro semestre por Santo André e Inter de Limeira, respectivamente, mas não vêm repetindo o mesmo desempenho com a camisa grená. 


A Locomotiva ainda conseguiu carimbar a trave duas vezes, mas não foi suficiente para voltar a vencer a partida. Portanto, com esse empate a Ferroviária continua fora da zona de classificação para o mata-mata da Série D. 


A situação da Ferroviária é uma situação normal: não é o fim do mundo, não é como se a Locomotiva não fosse classificar, mas é estranho antigamente estar direto na liderança e, agora, não estar nem na zona classificatória. 


É como diz o hino da Ferroviária, com algumas alterações: o povo (não) está feliz, (não) tem futebol, com a Ferroviária. A Locomotiva não vem sendo o time que era o bicho-papão na Série D, mas pode voltar a ser com algumas alterações do técnico Carpini e mais comprometimento do próprio elenco.