Aguarde...

Um panorama sobre o elenco que disputará o Paulistão

Entre as saídas do clube, o zagueiro Rayan é quem fará mais falta, porque a Ferroviária não tem nenhum zagueiro com a sua qualidade

| ACidadeON/Araraquara

Em seu último jogo-treino, no sábado (20), a Ferroviária empatou por 2 a 2 com a equipe sub-23 do Santos. (Foto: Tiago Pavini / Ferroviária SA)
No domingo, a Ferroviária estreará no Paulistão contra a Inter de Limeira -- ao que tudo indica, jogando em Campinas, considerando o lockdown e o colapso do sistema de saúde de Araraquara -- com um novo treinador e, até o momento, dez reforços contratados.   

No sistema defensivo, a Ferroviária assinou com o goleiro Carlão, de 23 anos, que deve ser o terceiro goleiro. O jogador foi revelado pelo Guarani e, em 2020, foi titular na equipe B que disputou a Copa Paulista. Entre os zagueiros, chegaram Didi, de 29 anos, Xandão, de 30 anos e Rayne, de 24 anos. Didi seria titular em quase todas as equipes do interior de São Paulo, enquanto Xandão e Rayne brigarão com Matheus Salustiano para formar a dupla de zagueiros. Pode ser também que Gustavo Medina, revelado pela Locomotiva, ganhe mais espaço no time e brigue pela titularidade. 


Além disso, a Ferroviária contratou o lateral-esquerdo Igor Fernandes, de 28 anos, que estava disputando a Série B pelo CSA. Revelado pela Corinthians, o jogador teve uma participação importante no clube do Parque São Jorge na temporada de 2013. Trata-se de um lateral consistente, que se torna uma boa alternativa para Arthur, que não retomou o mesmo nível da Copa Paulista de 2018 e do Paulistão de 2019.

No meio-campo, Renato Cajá dispensa comentários. Ídolo afeano, o jogador volta ao clube 13 anos depois de sua primeira passagem e tendo conquistado, na temporada de 2020, o acesso para a primeira divisão nacional com o Juventude. Será a liderança técnica da equipe, mas dependerá de uma estrutura coletiva que permita ao jogador ser menos ativo na recomposição defensiva.

A Ferroviária também contratou Vinicius Zanocelo, que estava na Ponte Preta e custou mais de 2 milhões de reais aos cofres do clube. Revelado pela Macaca, o jogador é figurinha carimbada nas convocações da seleção brasileira sub-20 e tem qualidade para jogar em qualquer posição do meio-campo. O volante Yuri, de 26 anos, da base do Olaria e do Bahia, que estava no Oeste, também foi contratado. Com qualidade técnica e inteligência de jogo acima da média, sendo um meio-campista de muita mobilidade, o atleta foi titular no acesso do CSA para a Série A do Brasileirão em 2018. O que atrapalha Yuri são suas lesões no joelho, que afastaram o jogador dos gramados em 2016, 2017 e 2019.

No ataque, os reforços são Felipe Marques, de 31 anos, que vem por empréstimo do Cuiabá, onde participou do acesso do clube mato-grossense para a primeira divisão do Campeonato Brasileiro e que já disputou o estadual paulista pelo Novorizontino em 2019 e também em 2020, e Everton Brito, de 25 anos, revelado pelo Palmeiras e que se destacou em 2020 jogando por Noroeste, Gama e Juventude. É um jogador técnico que já atuou como segundo atacante, extremo pela direita e também pela esquerda -- cortando para dentro para finalizar.

Contudo, ainda falta um atacante de beirada para compor o elenco, tendo em vista que a única alternativa que resta é Hygor. Na atual fotografia da equipe, o meia-atacante Jhoninha, assim como Gustavo Medina, pode ganhar ainda mais espaço no time profissional.

Por fim, entre as saídas do clube, o zagueiro Rayan é quem fará mais falta, porque a Ferroviária não tem nenhum zagueiro com a sua qualidade. O meio-campista Tony, apesar do segundo semestre oscilante, poderia continuar no time, considerando o que fez nas edições de 2019 e 2020 do Campeonato Paulista.

Com um meio-campo muito forte, um bom ataque e uma defesa que causa insegurança, a Locomotiva está fechando o seu elenco para a disputa do estadual.

Mais do ACidade ON