Em 2021, o São Paulo precisará jogar contra a história

Se essa for a lógica para conquistar taças, o São Paulo voltará para a fila sem títulos por mais nove anos

| ACidadeON/Araraquara -

O São Paulo, atual campeão paulista, não venceu nenhum jogo no Brasileirão. (Foto: Agência Brasil)

Hoje (7), o São Paulo entra em campo para tentar vencer o seu primeiro jogo no Campeonato Brasileiro. Sem vitórias na competição, essa é o pior início de campanha do clube, em qualquer torneio, em toda a sua história.

Na 10ª rodada, contra o Internacional, no Beira-Rio, o tricolor paulista tentará sair do atoleiro e deixar a zona rebaixamento, em que está desde a 5ª rodada.

Contudo, em um campeonato de pontos corridos, o começo frustrante de Brasileirão comprometerá os objetivos do atual campeão paulista para a temporada. Os números do passado prenunciam isso.

Considerando a 9ª rodada como parâmetro, nos últimos dez anos de Campeonato Brasileiro, nenhuma equipe que, à essa altura, esteve na zona da degola, conseguiu disputar o título do campeonato.

Da mesma forma, entre os times que, nesse momento, ocupavam a zona de rebaixamento, a melhor recuperação foi do Botafogo-RJ, em 2016, que saltou do 18º lugar, com 8 pontos, para o 5º lugar, com 59 pontos. Depois, as melhores reações foram do RB Bragantino, ainda no ano passado, que saiu do 19º lugar, com 7 pontos, para o 10º lugar, com 53 pontos, e do Flamengo, que saiu do 18º lugar, também com 7 pontos, para o 10º lugar, com 52 pontos.

Nas outras edições do campeonato nacional, os times ficaram do 11º lugar para baixo inclusive rebaixados, já que, nesses dez anos, pelo menos um time entre as quatro piores equipes da 9ª rodada foi parar na Série B do ano seguinte.

Portanto, o São Paulo, em 17º lugar, com 5 pontos conquistados, já deu adeus para a luta pelo heptacampeonato e precisará desafiar a história para, inclusive, garantir uma vaga (através do Brasileirão) na próxima Copa Libertadores.

Por isso, o campeonato do tricolor paulista foi comprometido ao ponto de transformar um dos melhores elencos do país em coadjuvante na competição ou algo pior, se a luta contra o rebaixamento deixar de ser um pesadelo para se transformar em realidade.

Entretanto, o cenário preocupante é fruto das escolhas do próprio São Paulo.

Em decorrência da pandemia, o calendário competitivo do futebol nacional foi reorganizado para priorizar a manutenção dos formatos originais dos campeonatos, mesmo que isso provocasse uma agenda ininterrupta de jogos. Como consequência, a temporada de 2020 e de 2021 se intercalaram.

Nesse contexto, o São Paulo privilegiou a conquista do Campeonato Paulista para superar a seca de títulos que vigorava desde 2012. Assim, o estreante Hernán Crespo colocou em campo os melhores jogadores que tinha à disposição desde o primeiro jogo no estadual, contra o Botafogo-SP, no Morumbi. Três dias antes, praticamente os mesmos jogadores venciam o Flamengo, na última rodada do Brasileirão, também no Morumbi.

Sem pré-temporada ou férias, o clube levou os jogadores ao limite físico para conquistar o estadual.

Ou seja, a busca por resultados em curto prazo prejudicou as outras ambições são-paulinas para a temporada. Miranda, Daniel Alves, Benítez, Luciano, entre outras referências técnicas do time, não conseguem ter sequência em campo após o estadual ou mesmo reencontrar o melhor desempenho. Contra o Inter, o zagueiro e o atacante são desfalques, junto com Gabriel Sara e William.

Se essa for a lógica para conquistar taças, o São Paulo voltará para a fila por mais nove anos.