Kaio Jorge na Juventus e a ida precoce para a Europa

Considero plausível questionar o paradigma vigente que determina que os talentos brasileiros devam ir o mais breve possível para o futebol europeu

| ACidadeON/Araraquara -

Kaio Jorge chegou em Turim hoje (4) para assinar com a Juventus. (Foto: Divulgação / Juventus FC)
A situação financeira calamitosa do Santos fez com que o clube perdesse Kaio Jorge para a Juventus por um valor irrisório. A negociação só não foi pior porque, por pouco, o jogador não foi de graça para Turim, já que ficaria sem contrato nos próximos meses. 

Também com as contas debilitadas, a equipe italiana viu uma oportunidade de negócio gerada a partir do caos santista. Assim, contratou um jovem que foi campeão mundial sub-17 e uma das lideranças técnicas do Santos no ano passado. Sua estreia como jogador profissional aconteceu em 2018, mas Kaio Jorge só atuou com regularidade em 2020.

Na Juventus, o jovem será treinado por Massimiliano Allegri, um treinador identificado com o jogo defensivo, mas que sempre potencializou os talentos que passaram por ele. Carlos Tévez, Paul Pogba e Paolo Dybala conheceram suas melhores versões com Allegri. Por isso, a esperança é que o talento do brasileiro seja lapidado.

Entretanto, mesma que Kaio Jorge possa vir a ser uma exceção, considero plausível questionar, hoje em dia, o paradigma vigente que determina que os talentos brasileiros devam ir o mais breve possível para o futebol europeu.

Em três temporadas de Real Madrid, Vinicius Junior ainda não foi tudo aquilo que seu potencial explosivo, um dia, indicou que poderia ser. O mesmo vale para Rodrygo, que chegou ao clube em 2019 e ainda não deslanchou com a camisa merengue. Já Reinier, há dois anos no Velho Continente, sequer jogou pelo time madridista e pouco entrou em campo com a camisa do Borussia Dortmund.

Lucas Paquetá, depois de dois anos de Milan, parece que reencontrou sua melhor versão na última temporada, com a camisa do Lyon. Gabriel Barbosa, após passagens frustradas por Inter de Milão e Benfica, está se tornando um dos maiores da história do Flamengo. Quem também brilhou na gávea foi Gerson, que não passou de mero coadjuvante na Fiorentina, o que não conseguiu ser quando atuou pela Roma. Agora, ao lado de Jorge Sampaoli, buscará uma nova sorte com a camisa do Olympique de Marseille.

Até mesmo Gabriel Jesus, que joga bem no Manchester City, continua sendo reserva.

Curiosamente, a principal referência técnica do futebol brasileiro só imigrou aos 22 anos, após cinco temporadas jogando pelo clube que o revelou. Evidentemente, não é isso que faz Neymar ser Neymar. Mas cabe especular qual teria sido a sua história se, aos 18 anos, em 2010, tivesse aceitado jogar pelo Chelsea.

Os defensores contrariam a tese, como Daniel Alves, David Luiz, Marquinhos, Filipe Luís e Marcelo. Até mesmo Casemiro virou outro jogador ao chegar no continente europeu. Contudo, nenhum deles são atacantes. Do ataque, os que foram bem-sucedidos atuaram por algumas temporadas em times de um nível inferior no Velho Continente. São os casos de Roberto Firmino, Richarlison, Willian, Douglas Costa, entre outros pouquíssimos.

Para estar entre os melhores do mundo, é inevitável passar pela prova do futebol europeu. Contudo, o histórico recente questiona se a melhor preparação para esse teste é a partida precoce.

Que Kaio Jorge seja a antítese desse texto.