Centro de Ressocialização Feminino tem nove casos de sífilis Centro de Ressocialização Feminino tem nove casos de sífilis

Centro de Ressocialização Feminino tem nove casos de sífilis

As reeducandas serão monitoradas por equipes de saúde das unidades prisionais

Nove detentas testaram positivo para sífilis e serão tratadas Foto: Divulgação
As detentas do Centro de Ressocialização Feminino de Araraquara foram submetidas a testes de HIV e sífilis. Do total de 79 detentas, nenhuma positivou para HIV e nove foram identificadas com sífilis. 
A ação faz parte do Dezembro Vermelho e busca justamente identificar casos das doenças, para oferecer tratamento adequado à pessoa privada de liberdade.  

As reeducandas serão monitoradas por equipes de saúde das unidades prisionais e, posteriormente, encaminhadas para os serviços de referência dos municípios, onde terão acesso a acompanhamento de rotina e exames.

Em 11 presídios da região Noroeste do estado, foram realizados 1.883 exames, sendo 953 de HIV e 930 de sífilis.

Segundo a diretora do Centro Regional de Saúde da Coordenadoria da Região Noroeste (CRN), Adriana Albuquerque Amaro, ao descobrir o HIV logo no início, é possível oferecer um tratamento eficaz e aumentar significativamente a qualidade de vida dos pacientes. Já a sífilis tem cura.

Mais Notícias

Mais Notícias