Publicidade

cotidiano

Pandemia impacta saldo populacional de Araraquara

Diferença entre nascidos e óbitos nunca foi tão pequena: em 2021 crescimento populacional vegetativo foi 86% menor até setembro

| ACidadeON/Araraquara -

Araraquara teve menor saldo de crescimento populacional. (Foto: Jakobking85 / Pixabay)


A alta taxa de mortalidade em Araraquara, produto da pandemia de Covid-19, impactou no crescimento populacional do município. Na comparação com 2020, ano em que a pandemia já impactava a realidade local, houve redução de 86% no crescimento, que teve saldo 93 até setembro.

Tabulação de dados disponibilizados pelo Portal da Transparência do Registro Civil permite o cálculo do crescimento vegetativo do município, que é a diferença entre taxas de natalidade e mortalidade. Quando o crescimento é negativo significa que mais morreu do que nasceu na localidade.

Os números de 2021 mostram que nunca a taxa de crescimento vegetativo esteve tão baixa, desde o começo da série histórica, em 2015. Em 2020, o saldo havia ficado em 665. De 2019 para cá o município tem registrado saldos decrescentes.

A menor taxa de crescimento ocorreu apesar de em 2021 terem ocorrido mais partos do que o ano passado. De janeiro a setembro, 2.075 novos araraquarenses "chegaram", contra 2.049 em 2020.

Por outro lado, a mortalidade disparou entre os dois anos, com 1.982 registros neste ano frente 1.384 no ano passado. São 43% a mais.

Registros mensais
Na comparação mês a mês, os dados de óbitos apresentaram picos em março, quando 320 óbitos ocorreram, e junho, com 265. Desde o começo do segundo semestre, Araraquara tem registrado dados decrescentes: 227 em julho, 191 em agosto, e 159 em setembro.

Na natalidade, após os picos de abril e junho, quando foram somados 280 e 242 nascidos, na ordem, a cidade somou números menores mês a mês. Em setembro, os 207 óbitos representam o segundo menor número de rebentos do ano.

Mais notícias


Publicidade