Publicidade

cotidiano

Visibilidade trans será debatida em live nesta quinta (27)

O bate-papo terá transmissão ao vivo pela página da Prefeitura no Facebook, com a participação de especialistas no tema

| ACidadeON/Araraquara -

 

Dia da Visibilidade Trans é comemorado em janeiro (Foto: Divulgação)

 

A live "Por que falar de Visibilidade Trans?" será realizada nesta quinta-feira (27), às 19 horas, com transmissão ao vivo pela página da Prefeitura no Facebook. O bate-papo entre personalidades ligadas ao tema visa chamar atenção para o Dia da Visibilidade Trans, comemorado anualmente em 29 de janeiro.

A organizadora da ação é a assessora especial de Políticas LGBTQIA+ da Prefeitura de Araraquara, Erika Matheus, que também é mulher trans preta, graduada em Letras pela Unesp de Araraquara, educadora, linguista decolonial, palestrante e ativista social.

Ela lembra que em 29 de janeiro de 2004 houve o lançamento da campanha 'Travesti e Respeito', marco histórico na luta por reconhecimento de transexuais e travestis no Brasil. Desde então, neste dia, passou a ser celebrada a existência, a resistência e a luta dessa comunidade.

"Visando apoiar essa data tão marcante e para debater a problemática dos estigmas sociais acerca da transfobia, a Assessoria Especial de Políticas LGBTQIA+ vai trazer alguns dados do grave problema da discriminação contra pessoas trans, travestis e transgêneros que a maior parte da população desconhece", explicou.

Os convidados da live serão a vereadora Filipa Brunelli, a ex-gestora de Direitos Humanos do governo Dilma, Symmy Larrat, a Secretária de Articulação Política da ANTRA, Bruna Benevides e o ator Gabriel Lodi. 
 
CONVIDADOS

Filipa Brunelli, 28 anos, é graduanda em sociologia, primeira trans vereadora eleita de Araraquara e da região centro-leste do Estado de São Paulo. Ex-gestora de politicas LGBT na Prefeitura de Araraquara, é fundadora dos coletivos MaisPlural e PapoDasBee e organizadora da parada LGBTQIA+ de Araraquara.

Symmy Larrat é a atual presidenta da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos (ABGLT). Foi coordenadora-geral de Promoção dos Direitos LGBT, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, no governo de Dilma Rousseff. Também foi coordenadora do programa "Transcidadania", na gestão Fernando Haddad, em São Paulo. Atualmente trabalha como coordenadora de Projetos da Casa Neon Cunha no ABC Paulista.

Bruna Benevides é secretária de Articulação Política e pesquisadora da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (ANTRA). É responsável pela pesquisa anual sobre violência contra a população trans brasileira e pesquisadora sobre pessoas trans nas eleições e violência política. É coordenadora do Projeto Resistência Arco-Íris e Transformação na Fiocruz, e do pré-vestibular social Preparanem Niterói. Vencedora do "Prêmio Faz Diferença" do jornal o Globo.

Gabriel Lodi é ator, dublador e transativista. Começou sua carreira na companhia Satyros de Teatro, onde atuou nas três peças da "Trilogia Anti Patriarcal", além de uma montagem independente da peça "Agridoce" de Zen Salles. Na TV fez em duas séries nacionais, uma na HBO, a "Todxs Nós" e na produção independente, também com temática LGBTQIA+, "Seus Olhos", disponível pela Amazon Prime. No cinema está no elenco principal do novo filme da diretora Eliane Caffé, "Para Onde Voam as Feiticeiras", que acaba de receber o prêmio de melhor filme no Queer Porto de Portugal. Como dublador, fez a versão brasileira da voz do primeiro protagonista trans na história dos games, no storytelling "Tell Me Why" da Microsoft, além de trabalhos para a Netflix e outros estúdios e streamings.

Publicidade