Infância sem conflitos

Crianças do 1º ao 5º ano aprendem a lidar com diferenças e ajudar o próximo em aula socioemocional

    • ACidadeON Araraquara
    • Paula dos Santos
Marcos Leandro
irmãs de coração Maria Eduarda, Nathaly e Sara são amigas inseparáveis e aprenderam a ajudar o próximo

“Eu estava jogando bola com meus amigos, um aluno trombou em mim e xingou minha mãe de chata e pobre. Se fosse em outra época, eu teria brigado. Mas dessa vez eu me acalmei, respirei, contei até dez e não dei bola”, conta o estudante Hugo Lopes Cavalcanti, de apenas 10 anos.

Hugo estuda na EE (Escola Estadual) “Narciso Silva César”, na Vila Santana, que passou a ter a disciplina socioemocional este ano. Os alunos do 1º ao 5º ano estão aprendendo a respeitar as diferenças, entender os sentimentos e ajudar o próximo. Com quase um semestre de aula, a atividade já reduziu em 80% os conflitos dentro e fora da sala de aula.

Além da apostila com textos e exercícios, os estudantes também aprendem com o auxílio de imagens, vídeos e músicas. “Os alunos foram bem receptivos a essa nova aula. Eles gostam porque é muito dinâmica e participativa. Percebo que o desempenho deles melhorou muito e que os alunos estão aplicando o que aprendem em casa”, conta a professora Cíntia de Castro Faria, 31, que leciona para o 2º ano.

Marcos Leandro
educação Ana Carolina, 7, aprendeu a pedir licença

A aluna Ana Carolina Perdona Vieira, 7, está no 2º ano e já aprendeu os comandos básicos da aula socioemocional: olhos observando, ouvidos escutando, corpo calmo e voz em silêncio. “Também aprendi a ser mais educada. Hoje, quando entro na casa da minha avó ou em qualquer outro lugar, eu peço licença primeiro”, explica.

Atitudes assim mostram que a nova disciplina está dando resultado. “No começo do ano, era muito difícil dar aula para essa turma, eles não se sentavam, tiravam o sapato, falavam todos ao mesmo tempo e não pediam licença para sair. Hoje isso mudou, eles mesmos cobram uns dos outros para levantarem a mão na hora de falar e pedirem com educação quando querem ir ao banheiro”, avalia a professora Cíntia.

Conflitos - Segundo o diretor, Aurélio Rodrigues Neto, 40, a escola nunca apresentou conflitos sérios entre os alunos. Porém, por conta da idade, pequenas brigas e discussões tumultuavam o intervalo. “Hoje, eles estão mais calmos, conversam e se entendem sem precisar chamar um adulto para resolver. Ainda é cedo para estipular números, mas podemos dizer que caíram 80% as brigas e a indisciplina após a implantação da aula socioemocional”, explica.

Marcos Leandro
Conversa Erik, Rizia e Hugo são do 5º ano e evitam brigas

Em eventos dentro da aula, também ficou mais fácil organizar os alunos e manter a atenção deles. “Toda a escola tem aula socioemocional na quarta-feira. Então todos aprendem ao mesmo tempo, de acordo com a idade. Antes, quando tinha alguma apresentação, era mais difícil manter todos em silêncio e atentos. Hoje, é só dizer ‘olhos observando’ e ‘voz em silêncio’ que eles já entendem e ficam espertos”, relata.

Essa não é a única novidade para as escolas de tempo integral neste ano. As unidades que atendem crianças do 1º ao 5º ano do ensino fundamental oferecem, além das disciplinas regulares previstas na base curricular e educação socioemocional, aulas pioneiras como “Assembleia”, que é uma espécie de reunião semanal para discutir o conteúdo e as dúvidas, “Linguagem Artística”, entre outras.

SER FIRME - A aluna Júlia de Almeida Oliveira, 10, está adorando as aulas socioemocionais. “Aprendi que não devemos rir quando alguém cai ou se machuca, o certo é oferecer ajuda. Um dia, meu vizinho caiu de bicicleta e eu não ri, fui lá ajudar. Também aprendi que devo ser firme e lidar com a vida. Não devemos desistir dos nossos sonhos”, diz.

Marcos Leandro
Solidária Júlia aprendeu a não rir quando o colega se machuca

Parece papo de gente grande, mas é assim que a maioria das crianças da escola fala. Aos 10 anos, Rizia Roosevelt já protege as crianças mais novas, inclusive a irmã, que estuda no mesmo lugar. “Outro dia, estava brincando de pular corda com as meninas mais novas. Uma aluna passou no meio e atrapalhou a gente. Em vez de brigar, me controlei e pedi para ela desviar na próxima vez”, relata.
As inseparáveis Nathaly Vitória Fogari Portes, Maria Eduarda Prado de Souza e Sara Cavalcanti, todas com 9 anos, dizem que aprenderam a ajudar os colegas em sala de aula.

“Não corremos mais no intervalo, pois podemos nos machucar. Estamos aprendendo que cada um pensa de um jeito, mas que temos de nos ajudar sempre”, diz Nathaly. O que elas dizem sobre a diferença de cor da pele, peso e cabelo? Nada disso importa para elas. “Somos tipo irmãs, sabe?”

Universidade de Stanford - Antes de a aula socioemocional começar, os professores passaram por um treinamento, com base na metodologia desenvolvida na Universidade de Stanford, nos Estados Unidos. Todo mês, o corpo docente se reúne para atualização do programa. A disciplina foi implantada em escolas de ensino integral, onde os alunos passam o dia todo no local e têm uma convivência maior.

Em Araraquara, apenas a EE “Narciso da Silva César” implementou a atividade por enquanto, sendo que são 17 em todo o Estado. No total, já são 492 unidades funcionando em tempo integral, o que soma 130 mil alunos. Aos poucos, mais escolas vão adicionando a disciplina à grade.

Segundo a professora Cíntia, que leciona no 2º ano, os alunos já aprenderam a ter autocontrole, respeitar os colegas, manter sempre a calma e expressar as emoções. “Teve uma aula em que eles contaram do que têm medo, saudade e quais momentos despertam felicidade. Foi um ‘chororô’, porque todo mundo se abriu e eles acabaram se conhecendo mais. Uma das meninas, por exemplo, perdeu a mãe e disse que tem muita saudade. É importante que eles aprendam a se abrir e entendam as emoções”, explica.


3 Comentário(s)

Comentário

Júlia

Publicado:

sds Jú

Comentário

Angelina Dalkmin

Publicado:

Projeto Simplesmente fantástico, estive na escola Narciso para conhece-lo, na qualidade de professora, fui muito bem recebida pela equipe gestora, a quem quero registrar os parabéns pela iniciativa. Votos de muito sucesso na continuidade do projeto. Profa. Angelina.

Comentário

ISABELLA

Publicado:

OLHA OS MEUS AMIGOS DO 5 ANO AMUUU RIZIA ERIC E HUGO