ACidadeON Araraquara

Araraquara
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Araraquara terá ato contra o aborto no Parque Infantil

Evento está marcado para o próximo sábado (7) e é organizado pelo movimento Direita São Paulo

| ACidadeON/Araraquara

 

Cartaz do Direita São Paulo foi divulgado nas redes sociais

No próximo sábado (07), às 14h, o Parque Infantil será palco de uma manifestação contra o aborto que promete esquentar o debate sobre o tema na cidade. Chamado de "Ato pela Vida", o evento é organizado pelo grupo Direita São Paulo Araraquara, e deve contar com a presença do fundador do movimento Douglas Garcia e também do ator Alexandre Frota.  

A ação ocorre justamente no momento em que a Argentina debate o assunto no congresso. No mês passado a proposta foi aprovada pelos deputados do país vizinho por 129 votos a favor e 125 contra. No dia 8 de agosto os senadores é que irão decidir o futuro do projeto.  

Caso seja aprovado, o aborto será considerado legal quando feito até a 14ª semana de gestação. Acima disso apenas quando for constatada má formação fetal "incompatível com a vida extrauterina" ou ainda quando coloca em risco a vida da mulher e, em último caso, quando a concepção ocorreu em virtude do crime de estupro. Na América do Sul apenas o Uruguai e a Guiana Francesa têm leis semelhantes.  

"Com a atual situação do julgamento na Argentina sobre a legalização do aborto, os movimentos feministas do Brasil têm se organizado para pressionar parlamentares e o judiciário para mais uma vez debaterem sobre esse tema e aprovarem de qualquer forma", diz o texto escrito pelos organizadores e postado em redes sociais.  

No Brasil é a Justiça que pode decidir o futuro do aborto. Entre os dias 3 e 6 de agosto ocorre uma audiência pública proposta pela ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber. Ela é relatora de uma ação que pede a descriminalização do aborto até a 12ª semana de gestação.  

De acordo com a pauta do evento, mais de 40 pessoas a favor e contra a medida devem se revezar nos debates tendo 20 minutos cada um para apresentar seus argumentos.  

O aborto no país é permitido apenas em casos de estupro, risco de vida para a mãe ou quando o feto é considerado anencéfalo.  

O ato no Parque Infantil também terá caráter solidário. Os participantes estão sendo orientados a levar um quilo de alimento não perecível. As doações serão destinadas a Casa Caibar Schutel.

Veja também