Aguarde...

ACidadeON Araraquara

Araraquara
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Ex-vereador de Matão é condenado a prisão

Condenação trata de irregularidades na prestação de contas da campanha eleitoral e também compra de votos

| ACidadeON/Araraquara

Alexandre Henrique de Cinque é ex-vereador de Matão (Foto: Reprodução)
A Justiça condenou a quatro anos de prisão em regime fechado, o ex-vereador de Matão, Alexandre Henrique de Cinque (MDB), o processo que corre tanto na esfera eleitoral, quanto criminal, trata de irregularidades na prestação de contas da campanha eleitoral do emedebista, em 2016, e também de compra de votos.  

Alexandre foi condenado em 2017 e teve o diploma cassado pelo crime, popularmente conhecido por caixa dois, e também pelo crime de sufrágio.  

O político recorreu das decisões, mas foi afastado do cargo eletivo, em março do ano passado por decisão do tribunal regional eleitoral. As duas sentenças foram ratificadas pelo Tribunal Superior Eleitoral no mesmo ano.  

De acordo com a primeira ação movida pelo Ministério Público Eleitoral, que resultou na primeira condenação, o político teria prometido um cargo de assessor a filha de um eleitor, que trabalhou como cabo eleitoral. O que caracteriza compra de votos, ou crime de sufrágio.  

Na segunda ação, o MP encontrou irregularidades na prestação de contas de Alexandre de Cinque, durante o pleito. De acordo com a denúncia, que resultou no afastamento do político do cargo de vereador, os gastos declarados, de quase 2500 reais eram incompatíveis com a campanha que foi realizada.  

O emedebista foi o segundo vereador mais votado, em Matão, com 1823 votos.  

Após as duas condenações na esfera eleitoral, e do afastamento definitivo do cargo, o político teve, agora, uma decisão desfavorável, no âmbito criminal.  

Ele foi condenado pela justiça de Matão a quatro anos de prisão, em regime inicial fechado, porém, poderá responder ao processo em liberdade.  

O irmão dele, André Ricardo de Cinque, também foi condenado a um ano e seis meses, em regime inicial aberto. A pena será convertida em prestação de serviços e também cabe recurso.  

André de Cinque era presidente da comissão de estudantes de Matão, a Coesma, e teria cedido o espaço pra que o irmão praticasse o crime de compra de votos. Foi neste local, que o candidato teria prometido cargo a filha de um cabo eleitoral.  

Durante a ação, os dois negaram as acusações.  

A reportagem da CBN Araraquara não conseguiu localizar o político, mas em uma rede social, Alexandre diz que recebeu a notícia com tranquilidade e garantiu que vai recorrer.  

Sobre as irregularidades na prestação de contas, afirma que não cometeu crime e que a prestação foi feita por um contador despreparado, de maneira incompleta.  

Por fim, ele afirmou que não concorda, mas que respeita a decisão da Justiça.


Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Mais do ACidade ON