Aguarde...

ACidadeON Araraquara

Araraquara
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Irmã do Cabo Matias fala em 'paz' durante velório

Sepultamento foi realizado neste sábado (8) e contou com familiares, amigos, bombeiros, policiais militares e civis

| ACidadeON/Araraquara

 
Foi enterrado na manhã deste sábado (8) o corpo do cabo da Polícia Militar Elias Matias Ribeiro, de 49 anos, quatro dias após o crime. A cerimônia foi do jeito que o policial gostava: rodeado de amigos, familiares e muita música.  

A tristeza pela perda e pela saudade ganhou um novo sentido na fala mansa de Jeraci Antônia Ribeiro, irmã da vítima. Ela vê tudo o que aconteceu com muita sabedoria.   

Elias Matias Ribeiro era policial militar (Foto: Divulgação)
"Eu estou em paz, graças a Deus. Me preocupo com ela [acusada] porque também é um ser humano e tem filhos. Eu estou assim pelo que aconteceu com meu irmão, mas eu me preocupo com a dor dos filhos dela. Deus está confortando meu coração e há de confortar o dela também. Vamos deixar nas mãos de Deus, pois a justiça de Deus é a coisa mais linda que tem", ressalta.  

O sobrinho Jeremias Ribeiro, com quem cabo Matias conviveu mais intensamente nos últimos meses, conta que embora tudo indicasse para o tio, ainda ficava a esperança de que não fosse ele. "A gente está em paz por estar tudo esclarecido, mas agora ela tem que pagar, a filha também, por ter armado tudo isso com o tio. E nós seguimos com a dor. A justiça tem que ser feita e elas precisam permanecer presas", ressalta o sobrinho.   

Irmã do Cabo Matias fala em 'paz' durante velório (Foto: Gabriela Martins/ACidadeON)
Por quase dois anos, Elias Matias Ribeiro foi policial do décimo terceiro Batalhão de Araraquara. Mas fez carreira no Corpo de Bombeiros de São Carlos, onde foi premiado várias vezes. 

Na corporação era conhecido pela alegria e pelo sorriso rasgado. O tenente-coronel Adalberto José Ferreira, comandante do 13º Batalhão da Polícia Militar, conta que Matias sempre sonhou em ser policial.  

"Como ele nunca tinha trabalhado no policiamento, assim que assumi o comando do Batalhão ele me procurou e falou que tinha esse sonho. Nesse momento eu convidei ele para trabalhar e compor a equipe dirigindo para mim. Trabalhamos quase dois anos e só nos trouxe alegria", finaliza.   

Carro do policial em chamas (Foto: Colaboração)
Histórico
O corpo do cabo Matias foi liberado pelo Instituto Médico Legal de São Paulo, na noite de sexta-feira, após ser identificado, por meio de material genético. 

Ele foi encontrado morto carbonizado na madrugada de terça-feira, dia 4, dentro do próprio carro. Segundo a investigação, o policial foi assassinado por Genivaldo Silva, com cinco golpes de marreta na cabeça, enquanto dormia. 

O crime teria sido encomendado pela namorada Jaciane Maria, de 40 anos, e pela filha mais velha dela, Larissa Marques, de 22. As duas teriam descoberto o envolvimento entre o cabo e a filha mais nova de Jaciane. 

Durante o velório, familiares e amigos carregavam balões brancos. Um sinal de paz. O corpo do policial foi enterrado sob aplausos, no Cemitério São Bento.  
 

Leia mais: 

Corpo de policial militar é achado carbonizado dentro de carro 

Mãe e filha são presas acusadas de matar policial de Araraquara

Pedreiro acusado de matar o Cabo Matias é preso 

Mãe, filha e tio voltam na casa para contar como executaram PM dormindo 
 

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Mais do ACidade ON