Aguarde...

ACidadeON Araraquara

Araraquara
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Número de moradores de rua acolhidos cresce 20% durante o inverno

Essa população é atendida pelo Seas, Casa Transitória e Centro POP

| ACidadeON/Araraquara

Número de moradores de rua acolhidos deve crescer 20% durante o inverno (Foto: Gabriela Martins/A Cidade ON)
O frio chegou com força em Araraquara no final de semana. Em uma das madrugadas mais frias do ano, os termômetros registraram apenas 4°C e colocaram de prontidão aqueles que realizam o acolhimento de pessoas em situação de rua.

Diariamente equipes de acolhimento atendem cerca de 100 pessoas em situação de rua - entre Casa Transitória, Centro Pop ou no Serviço Especializado em Abordagem Social (Seas) - e a expectativa é que esse número cresça durante o inverno.

"No inverno a Casa fica mais cheia e a busca por acolhimento cresce cerca de 20%. Mais do que um local quente para dormir, essa população vem atrás de uma boa alimentação", explica Ana Cassia Limeira Volpe, Gerente de Proteção Especial da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social.  

Para Jarbas, a fome é a pior parte de morar na rua 
Quando a fome aperta
"Durante o frio você se protege com papelão e coberta, procura um local mais fechado. Mas o pior da rua no frio é mesmo a fome. Muitas vezes você pede comida nas casas ou em comércio e eles se recusam. As pessoas não enxergam suas necessidades, apenas te julgam", conta Jarbas Ferreira, de 31 anos.

O desempregado perdeu os pais ainda jovem e acabou nas ruas após a morte da avó que cuidava dele. Depois de passar anos dormindo nas ruas e na Casa Transitória, Jarbas conseguiu emprego e uma casa no Vale Verde, porém o desemprego bateu a porta há sete meses e ele voltou a pedir ajuda no Centro Pop. "Eu venho aqui para almoçar, enquanto procuro um novo emprego, mas está muito difícil", conta.

Atualmente Araraquara conta com aproximadamente 150 pessoas em situação de rua, estejam elas dormindo nas ruas ou nas Casas de Acolhimento Sacrário e São Pio. Com idades variando entre 25 e 45 anos, a maioria das pessoas em situação de rua é composta por dependentes químicos, mas também conta com uma parcela que vive nessas condições por conta do desemprego ou conflitos familiares.  

Número de moradores de rua acolhidos cresce 20% durante o inverno

Ajuda 24 horas
Para chamar a atenção da população, a Assistência Social de Araraquara lançou a campanha 'Vamos quebrar o gelo?', com um telefone disponível 24 horas. Ao encontrar uma pessoa em situação de rua, a pessoa pode ligar para o Seas, que irá até o local oferecer ajudar.

"Neste ano nós lançamos uma campanha divulgando o número de telefone do Seas. O objetivo é que as pessoas que encontrarem moradores dormindo nas ruas da cidade, entrem em contato para que possamos ajudar", explica Ana Cassia.

De acordo com ela, nem sempre os moradores aceitam dormir fora daquele espaço que entendem ser a casa deles, mas aceitam a comida oferecida. "Alguns moradores aceitam ser encaminhados para a Casa Transitória para dormir ou receber o atendimento necessário aqui no Centro Pop. Entretanto, alguns não estão em seu momento. Eles querem ficar naquele lugar que têm como casa e nós respeitamos isso, porém, realizamos o monitoramento dessas pessoas, até que estejam preparados para receber a nossa ajuda", afirma.  

João aceitou o desafio de mudar sua vida (Foto: Gabriela Martins/A Cidade ON)

Todos os dias João Antunes Neto, 33 anos, enfrenta o frio das ruas de Araraquara. Morando em uma praça há pouco mais de um ano, o jovem tenta fugir do frio com o uso de blusas, cobertores e papelão.

Ele não aceita dormir na Casa transitória devido a desentendimentos, mas sempre busca o Centro Pop. E foi lá, há quatro meses, que ele aceitou o maior desafio de sua vida: se livrar do álcool e buscar um novo caminho.

"Eu me separei e fui para a casa do meu pai. Lá eles bebiam muito e acabei ficando dependente do álcool. Há um ano sai de casa e fui morar na rua, até que há quatro meses eu estava no Centro Pop e o prefeito me lançou o desafio. Larguei da bebida em troca de uma oportunidade na Frente de Trabalho. Há quatro meses estou bem, lutando para ter uma vida digna, onde seja visto como ser humano e não como lixo, como muito vêem", afirma João.

Serviço
Rede municipal de acolhimento às pessoas em situação de rua


Serviço Especializado em Abordagem Social SEAS  
( Realiza o cadastramento e monitoramento diário dos moradores de rua do município) 
Contatos: (16) 3336-7510 (todos os dias, das 8h as 23h) e 3334-2253 (de segunda à sexta-feira, das 8h às 15h). 


Casa Transitória "Assad Kan"  
(Unidade de acolhimento onde são oferecidos banho, roupas, produtos de higiene pessoal, refeição e pernoite).
Endereço: Rua Castro Alves, 1296 Bairro Santana tel. (16) 3336-7510
Horário de Funcionamento: de segunda à sexta-feira, a partir das 16h, e aos sábados, domingos e feriados 24 horas.

Centro de Referência Especializado para a População em Situação de Rua CENTRO POP  
(são oferecidos os serviços de banho, refeição, doação de roupas, produtos de higiene pessoal e oficinas socioeducativas. )
Endereço: Av. José Bonifácio, 590 Centro/ tel. (16) 3334-2253
Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h



Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Mais do ACidade ON