Aguarde...

ACidadeON Araraquara

Araraquara
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Desempregados gastam em média R$ 300 na procura por um emprego

Candidatos gastam com combustível, passagem de ônibus, currículos e alimentação; consultora de RH dá dicas para otimizar tempo e dinheiro

| ACidadeON/Araraquara

Luis Felipe (esq) e Leandro (dir) estão na busca de uma oportunidade (Milton Filho/CBN Araraquara)
Quanto custa realizar um sonho? Sair de casa pela manhã a procura de uma oportunidade de emprego, imprimir currículos, gastar com transporte e alimentação pesam quanto no orçamento? 

Uma pesquisa de uma empresa de recrutamento mostra que o brasileiro gasta, em média, R$ 300, por mês, ao sair para procurar um emprego três vezes na semana. Em Araraquara, este número não foge a regra.  

Quem depende do transporte público já coloca na ponta do lápis ao menos R$ 8,20 em um único dia lembrando que cada passagem custa R$ 4,10. Se somar uma alimentação mais simples, como um salgado, por exemplo, mais R$ 5. Isso sem falar nas despesas com impressão de currículos e internet.  

Estes são alguns dos gastos que o Luis Felipe Romão da Silva, de 26 anos, conhece bem. Ele esta desempregado há 2 anos e gasta, em média R$ 40 por dia de luta. "A gente [ele e o amigo] divide o valor do combustível, imprime os currículos e vem para cá. Hoje [ontem, 5], eu imprimi 10 currículos e gastei uns R$ 12", conta Silva.  

Assim como 13 milhões de brasileiros que estão desempregados, Rodrigo Barbosa da Silva, 36, também esta em busca de uma oportunidade. Todos os meses, ele chega a gastar 240 reais para abastecer a moto, imprimir currículos e se alimentar.
"Eu costumo sair às 7h da manhã, que é o horário que as empresas costumam abrir e volto no meio tarde", explica Rodrigo ao se referir aos dias em que sai a procura de emprego.  

Alternativas
Estas são algumas das histórias que passam diariamente pelo Posto de Atendimento ao Trabalhador de Araraquara (PAT). Mas nem sempre é preciso ter tantos gastos pra conseguir uma chance.  

O gestor do PAT, Jadson Augusto da Silva, explica que procurar uma vaga pode ser feita de casa. "Eles tem a opção de verificar as vagas pelo Facebook e mandar um e-mail, que a gente faz o encaminhamento", justifica.  

A consultora de recursos humanos, Luciana Ferreira explica que falta planejamento e organização dos candidatos pra otimizar custos, como, por exemplo, ligar com antecedência para empresa e confirmar se há de fato alguma vaga disponível. "Caso não tenha a vaga, perguntar se é possível fazer um cadastro. Mas é sempre melhor ligar antes de ir até a empresa sem saber se tem algo disponível", orienta Ferraz. 

Outra dica é ter um objetivo específico. "Onde eu quero estar nos próximos anos? É preciso ter objetivos claros, é isso que o mercado esta procurando", afirma a consultora.  

Persistência
Para o Leandro Aparecido dos Santos, 36 , a situação é mais complicada, já que é pai de família. "A gente faz bico, junta R$ 50 e vem procurar alguma coisa. Mas nem sempre é possível porque a gente tem as despesas da casa", diz. 

Enquanto as oportunidades não surgem, quem procura por um emprego, como o Luis Felipe, batalha pra não desanimar. "Muitas vezes você fica na dúvida entre comprar uma coisa que você precisa ou ir atrás de um emprego. Minha sorte é que minha mãe está trabalhando e me ajuda", finaliza.

Mais do ACidade ON