Aguarde...

ACidadeON

Voltar

cotidiano

Azul começa a operar dia 17 de dezembro em Araraquara

Companhia aérea terá quatro frequências semanais durante o dia e assim que aeroporto tiver condições, voos diários e até noturnos

| ACidadeON/Araraquara

Voos regulares no aeroporto de Araraquara terminaram em 2014 (Foto: Arquivo/Felipe Turioni/G1)

A Azul Linhas Aéreas bateu definitivamente o martelo e voltará a operar voos comerciais e regulares em Araraquara a partir do dia 17 de dezembro.

A informação foi confirmada pelo ACidade ON e pela rádio CBN Araraquara e segundo a companhia inicialmente serão quatro frequências semanais durante o dia - ainda não foram disponibilizados detalhes sobre dias e horários.

Segundo a Azul essa é apenas a primeira fase de seu projeto na cidade. Depois, quando o aeroporto Bartholomeu de Gusmão conseguir todas as certificações técnicas necessárias para receber voos noturnos a Azul vai oferecer ligações diárias entre Araraquara e Campinas. De Campinas o passageiro poderá voar para pelo menos outros 60 destinos, inclusive a capital paulista.   

Equipes da Azul e Daesp vistoriam aeroporto de Araraquara

Novela
Em abril deste ano, após o Governo de São Paulo anunciar a redução da alíquota de Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS) do querosene (de 25% para 12%), usada para abastecimento das aeronaves, a companhia Azul Linhas aéreas anunciou que voltaria a operar no aeroporto Bartholomeu de Gusmão, em Araraquara.  

O voo inaugural seria em setembro, mas uma inspeção feita no aeroporto mostrou que seriam necessárias adaptações para que, de fato, voos regulares pudessem ser feitos. A volta foi adiada e em recente visita a região o governador João Dória afirmou que o início das operações estava reagendado para fevereiro de 2020.  

Segundo apurado, algumas adaptações já foram feitas no aeroporto e alguns equipamentos que faltam estão sendo providenciados.  

Voos serão para Campinas, onde será possível ir a outros destinos brasileiros. (Foto: Código19)


Novos mercados
A partir de 20 de novembro, a Azul chega também a Ribeirão Preto e Bauru com voos regulares e diretos para São Paulo. A Azul incluirá em sua malha três e duas frequências diárias, respectivamente, ligando o interior à capital. Os voos serão operados pelos modernos turboélices ATR 72-600 da azul, mesmo que deve vir para Araraquara. Os novos mercados estarão disponíveis nos canais de venda da companhia nas próximas semanas.

"O incentivo de redução de alíquota de ICMS tem sido muito positivo e um estímulo importante para conseguirmos oferecer mais comodidade para e opções de voos para os nossos clientes", disse o presidente da Azul Linhas Aéreas, John Rodgerson.

A Azul já adicionou mais de 300 voos semanais a partir da capital desde o início do programa São Paulo para Todos e deve continuar a ampliar sua presença no Estado. Nos próximos meses, cerca de 50 frequências semanais adicionais programadas para novembro e dezembro estarão à venda nos canais de relacionamento da companhia. Os destinos são: Florianópolis, Salvador, Recife, Brasília, Curitiba, Cuiabá e Vitória, além de Araçatuba, Natal e Aracaju a partir de Viracopos, em Campinas.  

O Governador João Dória (PSDB). (Foto: Denny Cesare/Código19)
 

O governador João Dória (PSDB), garante que Estado de São Paulo não perdeu com a redução do imposto. Lançado em fevereiro, o programa São Paulo para Todos reduziu a alíquota do ICMS que incide sobre o querosene de aviação em São Paulo, de 25% para 12%. Segundo estudos do setor, o combustível representa em torno de 40% do custo operacional total das empresas.  

Com a redução do ICMS, o governo de São Paulo pediu contrapartidas para aumentar o fluxo de pousos e decolagens dentro do estado, principalmente em cidades que ainda não eram atendidas por linhas comerciais regulares.  

Com esses novos voos da Azul, serão mais de 700 novas partidas semanais em São Paulo até o final de 2019, com destino a 38 municípios em 21 estados.  

Com a nova alíquota, a arrecadação prevista para 2019 sobre a comercialização de querosene aéreo cairá de R$ 627 milhões para R$ 422 milhões, mas a compensação total - direta, indireta, induzida e catalisada - representa uma previsão de ao menos R$ 316 milhões. A estimativa é que 59 mil empregos sejam gerados nos próximos 18 meses a partir da desoneração, com previsão de R$ 1,4 bilhão em salários anualmente.  

João Dória voltou a afirmar que os 21 aeroportos do Estado, incluindo o de Araraquara, serão privatizados.  

Daesp
O Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (DAESP) afirma que já iniciou as ações necessárias para a revitalização do aeroporto de Araraquara. Estão sendo feitas, por exemplo, as obras de revitalização do sistema de pista, do terminal de passageiros e de segurança do aeroporto.  

Além disso, o Aeroporto de Araraquara está no plano de desestatização do Governo Paulista, que está sendo conduzido pelo DAESP com assessoria da IOS Partners - consultoria internacional contratada para realizar os estudos que vão definir o modelo mais eficiente de gestão e funcionamento.  

Os especialistas analisaram todos os aeroportos, in loco, com o objetivo de avaliar também as perspectivas de desenvolvimento econômico da região sob o ponto de vista aeroportuário.  

A previsão é que os estudos sejam finalizados em novembro. Todo o processo de desestatização dos aeroportos estaduais deve ser concluído no primeiro trimestre de 2020.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso. Para mais informações, consulte nosso TERMO DE USO"

Facebook

Mais do ACidade ON