Aguarde...
Voltar

cotidiano

Do ginásio arrojado ao mito dos Mamonas; conheça a história do Gigantão

Engenheiro Roberto Massafera responsável pela obra conta um pouco a história de um dos símbolos de Araraquara

| ACidadeON/Araraquara

 
Arrojado e moderno. Este foi o pedido do então prefeito Rômulo Lupo, que mandou construir o ginásio de esportes Castelo Branco, o Gigantão, no ano de 1966.  

Projetado pelos engenheiros Luiz Ernesto do Valle Gadelha e Jonas Faria, a empresa Domus foi contratada em 1967 para construir o Gigantão, realizou as fundações e abandonou a obra. O ginásio ficou assim até o início de 1969, quando Rubens Cruz assumiu a prefeitura com a missão de finalizar a obra até outubro, para a realização dos Jogos Abertos do Interior. 

Cruz formou uma comissão técnica, com os engenheiros Roberto Massafera, José Henrique Albiero e o arquiteto Nelson Barbieri para finalizar o ginásio. 

"Araraquara não tinha nenhuma quadra coberta e o prefeito Rômulo Lupo queria fazer o ginásio de esportes moderno e bonito. Ele contratou arquitetos que fizeram um projeto arrojado. Era uma estrutura envolvida em uma casca de concreto, de 60 metros de largura e 100 metros de comprimento. Para a época, não tinha nada parecido", conta Roberto Massafera, um dos engenheiros responsáveis pela obra. 

De acordo com Massafera, a obra ficou pronta em nove meses, com mais de 300 homens trabalhando. Na época não tinha usina ou bomba de concreto, era betoneira e tudo feito a mão. Cada um dos quatro cantos da obra tinha uma betoneira e demorava quase um mês para preencher a cobertura.   

Do ginásio arrojado ao mito dos Mamonas; conheça a história do Gigantão
"Eu, assim como cada operário, cada trabalhador, se orgulhava de estar ali. Eles trabalhavam dia e noite, sem parar, mas estavam trabalhando em uma obra importante para a cidade. Um verdadeiro marco. Todos se orgulhavam daquela obra. Hoje consegue fazer a cobertura em uma semana, na época nós levamos 30 dias para fazer o mesmo trabalho", lembra Massafera. 

Trabalhadores como o aposentado Antônio Navarro, de 70 anos, se orgulham de ter trabalhado no bate estaca na fundação do Gigantão. "Foi tudo concretado de carriola, no braço mesmo", afirma.  
 
Curiosidades
Entre as histórias que o Gigantão acumula ao longo dos anos está a rampa dos elefantes. Isso porque, durante a obra, um grande vazio se formou e seria preenchido com terra. Entretanto, o prefeito Rômulo Lupo questionou: "Se vier um circo aqui, como um elefante entra?". 

"Disseram então que seria necessário construir uma rampa para o elefante descer. Foi aí que o prefeito pdeiu a criação de um túnel para que o elefante pudesse entrar por baixo. Se você for ao gigantão, você vai ver uma rampa e uma entrada por trás, onde fica o alojamento dos jogadores. Com isso, o local ficou então conhecido como a rampa de acesso dos elefantes", conta Massafera. 

Outra história muito lembrada é o boato sobre a queda do Gigantão durante o show do grupo Mamonas Assassinas, em 1994. "O grupo vinha pra cá e foi feito anúncio em uma das rádios da cidade. A rádio concorrente, que não foi contratada, falou que teria o show e que eram para as pessoas tomarem cuidado, pois o local iria cair. Minha filha, na época com 10 anos, me falou: pai, foi você que fez o Gigantão? Falaram que vai cair com os Mamonas Assassinas. Eu tive que ir com ela ao show e provar que não ia cair. Por fim, adorei os Mamonas".   

Gigantão Araraquara clima tempo primavera (Foto: Amanda Rocha)
A obra
De acordo com Massafera, a obra está segura, mas precisa ser feito impermeabilização do teto a cada cinco anos. "Se a impermeabilização não é feita, pode haver infiltração e com o tempo as ferragens começam a corroer. O efeito térmico movimenta a estrutura e ao longo do tempo, mostrou uma falha conceitual do projeto, com isso uma aba lateral acabou caindo por conta de efeitos não previstos. Após 40 anos da entrega da obra, voltamos e verificamos uma falha. Em 2010 foi realizada a correção e com isso a estrutura do local segue perfeita", destaca. 

O gigantão passou por reforma, após a queda de uma aba do teto em 2010, e foi entregue no ano de 2013. O ginásio recebe diversas competições esportivas.   
 

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Mais do ACidade ON