Aguarde...

cotidiano

Área abandonada gera reclamações no Jardim Imperador

A área abrigada uma empresa de produtos químicos fechada há anos; vizinhos relatam preocupação

| ACidadeON/Araraquara

Moradores do Imperador reclamam de área abandonada (Milton Filho/CBN Araraquara)
 
Uma área na Rua Marechal Arthur da Costa e Silva, no Jardim Imperador, em Araraquara segue sendo um problema para os  vizinhos. No local onde funcionava uma indústria de produtos químicos, há uma casa, um barracão e uma área externa, que estão abandonados. Do lado de fora, o mato da calçada foi cortado, porém, o problema ainda gera preocupação.   

Em março deste ano, a Vigilância Epidemiológica vistoriou o imóvel que estava com vários criadouros do mosquito da dengue. Na época, a Prefeitura dizia que ia tentar tomar o imóvel baseado na lei de abandono, isso porque, de acordo com a Prefeitura, diversas multas foram expedidas desde 2011, mas sem um resultado efetivo.  

A área tem aproximadamente 40 metros de extensão e gera muito incomodo. A aposentada Zoraide Dias Bonifácio Mora perto ao imóvel há 40 anos. "Já veio umas pessoas aí e cortaram o mato. Parou por aí. O problema está lá dentro", afirma.  
 
Produtos químicos são encontrados dentro de casa abandonada no Imperador (Fotos: Arquivo/Amanda Rocha)

O mato da calçada foi cortado recentemente. E os moradores se revezam para manter a limpeza. "Cada um cuida um pouco do lado de fora, mas lá dentro permanece o mato e a sujeira", diz a promotora de eventos Dorothea Coutinho Pereira, que mora na região há mais de 15 anos.  

Outra preocupação são os produtos químicos, que ficaram desde a época que empresa funcionava ali. "Ratazana, aranha, até cobra já teve e fora os produtos químicos que tem aí desde a época que a empresa química funcionava", acrescenta Dorothea.  

Em março deste ano, a Vigilância Epidemiológica vistoriou o imóvel durante uma ação de combate à dengue. Na época, produtos químicos foram encontrados nocivos à saúde. De acordo com a Prefeitura, desde 2011 diversas multas foram expedidas por descumprimento ao código de posturas do município.

Mais do ACidade ON