Aguarde...

ACidadeON

Voltar

cotidiano

Calor e umidade fazem aumentar preocupação com escorpiões

Vigilância em Saúde realiza trabalhos em conjunto com o cemitério para evitar problemas infestação escorpiônica

| ACidadeON/Araraquara

Calor e umidade fazem aumentar preocupação com escorpiões
É nessa época do ano, de muita chuva e calor, que os escorpiões se reproduzem e aparecem com mais frequência. De hábitos noturnos, esses animais vivem em locais escuros, quentes e úmidos. 

Um dos locais de fácil proliferação são os cemitérios, onde rachaduras ou túmulos mal vedados podem se tornar um verdadeiro abrigo para os escorpiões, que são atraídos ainda pelas baratas ali existentes.   

Calor e umidade fazem aumentar preocupação com escorpiões
"A Vigilância entrou em contato com a administração do cemitério em outubro do ano passado, pedindo para que comunicassem casos de aparecimento de escorpiões. Em novembro foi encontrado um primeiro exemplar, a vigilância veio e fez uma busca ativa e foram encontrados por volta de dez escorpiões. A partir dai fizemos novas buscas ativas, inclusive no período noturno, e estamos pedindo para os proprietários das sepulturas que realizem vedações", explica o coordenador da Vigilância em Saúde, Rodrigo Contreira Ramos.  

De acordo com Rodrigo, a Vigilância fez um ato oficial comunicando a necessidade dessas melhorias e solicitaram que a administração do cemitério entrasse em contato com as famílias que têm túmulos mais degradados para que possam realizar os reparos necessários e evitar uma situação escorpiônica. No caso de falta de parente, a Vigilância comunica a secretaria de Obras para que as providências sejam tomadas.   

Calor e umidade fazem aumentar preocupação com escorpiões
"Atualmente não estamos encontrando escorpiões, então estamos realizando a vedação das frestas e reestruturação das sepulturas, posteriormente vamos aplicar inseticidas nos túmulos e depois será feita uma nebulização a noite, para fazer o controle das baratas, que é o alimento dos escorpiões e um dos grandes atrativos ".  

Marcelo Cesar Castageni, fiscal municipal, explica que esse é um ambiente que pode dar chances para uma infestação escorpiônica, por isso, pediu a ajuda de quem trabalha todos os dias no local, seja administrando o local ou limpando os túmulos para manter os escorpiões afastados do local. "Verificamos outros túmulos ao redor para saber se havia problema em outro local. Durante a noite percorremos todo o local com luz ultravioleta e conseguimos localizar em um túmulo degradado em torno de seis escorpiões. O túmulo foi destruído e regularizado e continuamos com busca ativa", explica.  

Atualmente, o cemitério São Bento conta com mais de 11 mil sepulturas.

Mais do ACidade ON