Aguarde...

ACidadeON

Voltar

cotidiano

Reforma do Parque do Basalto começa na próxima semana

O prazo para a entrega do novo Centro de Educação Ambiental é de 90 dias

| ACidadeON/Araraquara

Parque do Basalto (Foto: Amanda Rocha)
As obras de revitalização do parque do basalto eram esperadas desde no fim do ano passado quando começou o processo licitatório, segundo o superintendente do Departamento Autônomo de Água e Esgotos (Daae), Donizete Simioni, o parque deve ser entregue no máximo no mês de maio deste ano.  

"Estamos dando ordem de serviço, nesta sexta-feira e, a partir da ordem de serviço, a empresa já irá iniciar as obras na segunda-feira (27). O prazo de conclusão é de 90 dias", explica.  

A revitalização vai ser em todo o parque desde que a Uniara devolveu a gestão para o Daae o local ficou sem manutenção. Siminoni afirma que serão feitas todas as obras necessárias para recuperação e revitalização total do parque.  

"Nós estamos reformando o local e estaremos inaugurando como Centro de Educação Ambiental Municipal, com serviços que inclui demolição, construção de alvenaria, limpeza, substituição de piso, concreto, pintura, revestimento e substituição de toda a cobertura de um espaço, que será usado como Centro de Educação Ambiental", afirma.  

São previstas também as reformas das guaritas e do madeiramento em torno do parque que está deteriorado, além da reforma do guarda-corpo que já tem no local e também. Será recuperada também a passarela que dá acesso para a cachoeira.   

Parque do Basalto em reforma (Foto: Amanda Rocha)
"É um espaço muito importante para que as pessoas conheçam e aproveitem toda essa biodiversidade e fauna que existe naquele local".  

Os recursos da para a obras de revitalização são do fundo de desenvolvimento ambiental e somam um valor de 568 mil reais.  

O parque do basalto ocupa área de 65 mil m² com uma rica biodiversidade, com mais de 150 espécies de animais e 350 tipos de plantas, delas 200 dão espécies de árvores nativas.  

O local também tem cachoeira e paredões de rocha basalto originados após o resfriamento de derrames de lava ocorridos há mais de 120 milhões de anos.  

O Parque esteve sob responsabilidade da Uniara até 2018, quando a gestão do parque foi repassada para o Daae.
A autarquia municipal efetua manutenção permanente (roçagem, varrição e poda de vegetação), além de vigilância 24 horas por dia.