Aguarde...

cotidiano

Quarta-feira de Cinzas marca o início da quaresma católica

A quaresma é o perído de preparação para a semana da Páscoa, onde é comemorado a Ressurreição de Jesus Cristo

| ACidadeON/Araraquara

Quaresma começa nesta quarta-feira (26) e termina na semana da Páscoa (Foto: Redes Sociais)
 
Jejum e oração. Para quem é cristão essas duas palavras são familiares e fazem parte especialmente do período de quaresma que são os quarenta dias que antecedem a festa ápice do cristianismo: a Ressurreição de Jesus Cristo, comemorada no Domingo de Páscoa.

A Quaresma, que começa nesta quarta-feira de cinzas e termina na quarta-feira da Semana Santa, é quando os católicos realizam a preparação para a Páscoa. "O período é reservado para a reflexão, a conversão espiritual. Ou seja, o católico deve se aproximar de Deus visando o crescimento espiritual. É o momento em que lembramos os 40 dias em que Jesus jejuou no deserto e foi tentado de todas as maneiras", explica o Padre Cristian Henrique Capelatto, pároco da Igreja Nossa Senhora e vigário Episcopal da região de Araraquara.

É neste período que antecede a Páscoa, que os fiéis são convidados a fazerem uma comparação entre suas vidas e a mensagem cristã expressa nos Evangelhos. Esta comparação significa um recomeço, um renascimento para as questões espirituais e de crescimento pessoal.

"O cristão deve intensificar a prática dos princípios essenciais de sua fé com o objetivo de ser uma pessoa melhor e proporcionar o bem para os demais", diz padre Cristian.

Penitência
Padre Cristian explica que a penitência, comum neste época, é vista como uma mortificação dos pecados. "É realmente quando o cristão olha para o seu interior, se arrepende de seus pecados e busca uma vida nova. Aliado a reflexão a respeito da humildade, entrega, morte e ressurreição de Jesus", diz o pároco.

Agora, o padre lembra que a penitência é diferente do jejum. "O jejum é obrigatório pela igreja na Quarta-Feira de Cinzas e também na Sexta-Feira Santa. É quando os católicos se abstém de carne lembrando que foi através da carne que Cristo se entregou. A penitência não é obrigatória, é livre", explica padre Cristian.  

"Para quem não é católico, este tipo de ato parece em vão e difícil de entender, mas desviando nossos olhos das coisas deste mundo, podemos melhor voltá-los para Cristo. Jejuar ou se penitenciar não é uma maneira de conseguir de Deus o que queremos. Estes atos mudam a nós, não a Deus. Jejuar ou se penitenciar é algo a ser feito em espírito de humildade e atitude alegre", finaliza padre Cristian.

Mais do ACidade ON