Aguarde...

cotidiano

Prédio da antiga Novamoto será hospital de campanha da covid-19

Informação foi dada pelo prefeito Edinho Silva (PT), durante ao vivo nas redes sociais, nesta terça-feira (24)

| ACidadeON/Araraquara

Edinho Silva (PT) anunciou medida em uma live nas redes sociais da Prefeitura ( Foto: Celso Gallo)
 

O antigo prédio da antiga Novamoto, na Rua Domingos Zanin vai ser preparado para ser um hospital de campanha contra o novo coronavírus. O local vai passar por reforma para ser um ponto de atendimento à pacientes com sintomas da covid-19.  

Segundo o prefeito Edinho Silva (PT), em um ao vivo nas redes sociais da Prefeitura, além da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Vila Xavier se transformar em um centro de triagem do novo coronavírus, outro local será preparado para se tornar um hospital de campanha.

Mais cedo, na Câmara, os vereadores aprovaram autorização para a administração municipal contratar, em caráter emergencial até 400 pessoas para a manutenção e adequação do espaço destinado ao novo hospital de campanha da covid-19.

"Lá [antiga Novamoto] será o hospital de campanha. Primeiro a pessoa liga na ouvidoria da Saúda [0800 771 7723] onde temos profissionais fazendo a triagem e eles vão te orientar pra rede básica, se for o caso pra UPA, se for caso de caracterização de coronavírus lá será feita a triagem. Se você vai para um leito ambulatorial ou se for o caso, pra UTI. Enquanto nós estivermos casos, nós teremos condições de atender no prédio da Novamoto, que nós estamos trabalhando pra que seja montado o hospital de campanha", afirma.

Edinho ressalta que quando houver confirmações da doença, serão divulgados de forma oficial e pede para que as pessoas evitem compartilhar informações que não são verdadeiras, as chamadas fake news.

Em relação a falta de equipamentos de segurança para os profissionais da saúde, o prefeito afirma que há dificuldade para compra, mas que o problema está resolvido e foi comprado um estoque para o período de três meses.

O prefeito não acredita que fechar as entradas e saídas da cidade deva resolver o problema e garante não pensar a respeito. Silva lembra que os estabelecimentos que estão abertos e não são serviços essenciais devem ser denunciados pelos cidadãos através do telefone 156 da Ouvidoria da Prefeitura ou 153 da Guarda Civil Municipal.

De acordo com lei aprovada na Câmara, os comerciantes que descumprirem a medida serão obrigados a pagar multa de R$ 5.768, além da cassação do alvará de funcionamento. "Isso vai dificultar o estabelecimento voltar a funcionar. A Guarda Municipal está preparada", finaliza.

Mais do ACidade ON