Aguarde...

cotidiano

Saúde imuniza 21 mil pessoas contra gripe em dois dias

Em Araraquara acabaram as doses e não tem previsão para chegar mais; secretária de Saúde garante que todo público alvo será vacinado

| ACidadeON/Araraquara

Durante todo o dia a fila para a vacinação contra a gripe foi grande, em Araraquara (Foto:ACidadeON)
 
Araraquara vacinou 21 mil pessoas, entre idosos e profissionais da saúde, em dois dias. A primeira fase da campanha superou as expectativas e essa semana não há mais doses disponíveis na rede municipal.

"Essa semana não temos mais vacina e nem deve chegar para o Dia D que estava marcado para sábado, dia 28. Ainda temos mil doses que serão destinadas para todos os acamados, são idosos com outras comorbidades e que estão de repouso, sabemos que os problemas respiratórios atingem mais estas pessoas e, por isso, essa vacinação será feita nesta semana pelos profissionais de saúde do município", afirma Eliana Honain, secretária de Saúde.

Eliana ressalta que não tem previsão para a entrega de novas doses, mas afirma que todas as pessoas previstas na campanha serão vacinadas. "A campanha segue até o dia 23 de maio", reforça.

"A falta de vacina não é culpa de ninguém, antecipamos a campanha e sabíamos que os laboratórios não iriam dar conta, agora vamos esperar", esclarece.

Mudança de pensamento 
A vacinação não é para o coronavírus e sim para a Influenza A, H1N1. Porém, o medo em torno da atual pandemia de covid-109 fez a população correr para se imunizar. 21 mil pessoas em dois dias é recorde. 

Para se ter uma ideia, em Araraquara, no ano passado, em um mês de campanha menos de 5 mil pessoas tinham sido vacinadas, sendo apenas 2,5 mil idosos. Na época, a Prefeitura fazia campanha convocando a população aos postos de saúde.

Pode se vacinar contra a gripe, a população que faz parte dos grupos prioritários (crianças de 6 meses a 6 anos, gestantes, puérperas (mulheres até 45 dias após o parto), idosos, trabalhadores da saúde, professores das redes pública e privada, doentes crônicos, indígenas, pessoas privadas de liberdade). Entretanto, idosos e profissionais da saúde são os primeiros a serem vacinados.

Mais do ACidade ON