Aguarde...

cotidiano

Pico de dengue está previsto para maio junto com covid-19

Alerta da Saúde é para que a população fique atenta e não deixe acumular lixo e água parada, focos do mosquito Aedes aegypti

| ACidadeON/Araraquara

Prefeitura alerta para a dengue em Araraquara  (Foto: Mastrangelo Reino/Arquivo ACidadeON)
 
Araraquara registra desde janeiro, 87 casos de dengue, segundo dados da Vigilância em Saúde. O número é muito inferior aos 17 mil registrados no mesmo período de 2019, quando a cidade viveu uma epidemia. Entretanto, a preocupação da secretária de Saúde, Eliana Honain, é que o pico da dengue está previsto para maio, junto com o pico do coronavírus.

"Estamos em um período crítico que vai até o final de maio e vai culminar com o pico do coronavírus. Temos o pessoal cuidando da dengue, na linha de frente, se expondo para que a situação não fique difícil, mas a população precisa ajudar. Não podemos enfrentar coronavírus e a dengue ao mesmo tempo. Coronavírus está nas nossas mãos, assim como a dengue. A não proliferação da doença depende de nós", diz ela.

Este ano foram registrados 43 casos de dengue em janeiro; 30 em fevereiro e 14, em março. Ano passado foram 2,5 mil em janeiro; 7,8 mil em fevereiro e 6,6 mil em março. "Em 2019 enfrentamos um tipo de dengue diferente, que acabou gerando uma epidemia, muita gente ficou doente e não podemos passar por isso novamente", explica Honain.

Lixo 
A secretária se mostra preocupada com a situação que a cidade vive, com o lixo encontrado pelas ruas. "Às vezes tenho a impressão que as pessoas não sabem a gravidade da dengue. A dengue mata, ano passado perdemos cinco pessoas e mesmo assim, alguns dias passo pela Avenida Bento de Abreu e vejo um monte de lixo jogado no chão", diz ela.

Honain ressalta para o aumento dos serviços delivery nesta época de isolamento social e o descarte correto das embalagens. "Uma coisa me preocupou muito, restaurantes atendendo delivery, tudo descartável, e este material precisa ser descartado corretamente, senão é foco de dengue". 

Uma das dicas da secretária é que as pessoas aproveitem o tempo em casa para também limpar os quintais e não acumular materiais inservíveis, que são a 'casa' do mosquito Aedes aegypti, que transmite dengue e outras doenças.

Mais do ACidade ON