Aguarde...

cotidiano

Bares e restaurantes investem em atrações diferenciadas

Alguns estabelecimentos tiveram queda de 100% no faturamento, mas se reinventam para manter o público depois da quarentena

| ACidadeON/Araraquara

Bares e restaurantes investem em atrações diferenciadas
Fazer um cine drive-in, oferecer novos serviços, realizar promoções e lives nas redes sociais. Essas são algumas das saídas encontradas por donos de bares e restaurantes de Araraquara, para que possam manter seus negócios ativos durante a quarentena da covid-19. Desde março, bares e restaurantes tiveram que baixar suas portas e só podem atender no sistema drive-thru ou delivery.   

Para manter seu negócio, o casal Renato Bressan, 50 anos, e Luciana Capuzzo, 46 anos, precisou se reinventar e lançaram nesta semana o primeiro cine drive-in' - nesta sexta-feira (22) e sábado (23) - onde o público poderá ouvir música ao vivo e consumir porções e bebidas, mas tudo dentro de seu veículo.  

De acordo com Luciana, a ideia surgiu em razão do amplo estacionamento existente no local também pela ligação do marido com a área de áudio e vídeo, onde trabalhou por muitos anos. "É tudo muito novo e desde que colocamos em nossas redes sociais surgiram muitas perguntas e, por conta disso, criamos até um manual. Diante das restrições por conta da pandemia, tudo irá acontecer ao ar livre, sem acesso as áreas internas do bar, com todas as precauções necessárias, pois disso não abrimos mão. Devemos fazer outras edições e com melhorias sempre. Esses são testes valendo, sabemos que uma coisa ou outra dará errado, mas iremos aprimorar", conta Luciana.  

Ela explica ainda que vem buscando alternativas para manter o restaurante durante este período. "Passamos a trabalhar com delivery de uma maneira mais consistente. Já era um projeto nosso, mas com essa pandemia e as restrições, tivemos que acelerar e colocar em prática de um sábado para uma segunda todo o sistema de delivery, com plataformas de retirada e entrega. Na primeira avaliação que fizemos, 15 dias após as restrições, verificamos uma queda no faturamento de 87%, mas, recentemente reavaliamos nossos números e vimos que a queda passou a ser de 72% a 73% a queda de faturamento", destaca.   
 
Saiba mais sobre o Cine drive-in https://www.facebook.com/nosemcenadeckbar/ 

Bar realiza lives para manter o público mais próximo e ajudar ações sociais 
REDES SOCIAIS
Estabelecimentos que atraiam o público pela música, acabaram registrando uma queda de 100% em sua receita. No caso de uma casa de show sertaneja, localizada na Manoel de Abreu, são as lives que vem mantendo seu público fiel. "A lives estão sendo realizadas por dois motivos: para continuar se relacionando com o público nas redes sociais, que conta com um número bacana de pessoas; e para ajudar os músicos, que também estão em uma situação complicada, pois estão parados. Nós damos a estrutura e eles realizam as lives com pedidos de doações para eles ou para ajudar causas sociais. Mas em questão de receita, para nós, é zero", explica o proprietário Neivado Angelo Circuitani.

Para quitar as contas do local, o proprietário vendeu o estoque de bebidas a preço de custo. "Não estamos podendo funcionar e nossa localização não nos ajuda a fazer drive-thru. Tinha um estoque de bebida, que acabamos vendendo por preço de custo para pagar mesmo as despesas. Mas em termo de lucro é zero. Vamos aguardar, pois sabemos que nosso segmento será um dos últimos a voltar, pois evento tem aglomeração.Mas também precisamos ver se iremos aguentar, pois tem muita despesa também", ressalta.   
Saiba mais sobre a live desta sexta-feira (22) - https://www.facebook.com/palhocamusicbar/
  
Além das lives, bar de rock irá abrir um delivery de massas 
REINVENTAR
Já em um bar de rock localizado no Centro de Araraquara, as lives contavam com doação para cobrir alguns custos. Porém, o proprietário do local, Luiz Guilherme Belarmino, 43 anos, empreendedor e economista, optou por direcionar as lives para um cunho mais social. "Para nós especificamente a queda foi total, 100%. Não abrimos a casa desde 14 de março. É um momento muito difícil, sabemos que irá passar, mas por hora está bem complicado. Fizemos uma live na semana passada com um retorno muito bom, muito positivo, mas a live não é uma solução rentável, mas não tem como sobreviver só com a live. Vamos fazer outras, mas vamos procurar instituições e causas, pois esse é um momento que exige isso. Que as pessoas se aproximem dessa forma".  

Para manter o local durante esse período, Guilherme conta que irá abrir um delivery de massas no local. "Vamos começar um delivery de massas, com produtos naturais e massas artesanais. Eu encaro como um desafio. Tem a dificuldade de começar algo novo, que eu não tenho experiência, mas tem a vantagem de que, como o Corleone é um bar de rock, temos esse público. Já com o delivery, iremos atender todos os públicos, até aqueles que não conhecem o bar, por as vezes não gostar do estilo, pode conhecer o local por meio das massas", afirma. 

Ainda segundo o proprietário, esse é o momento de olhar para as redes sociais. "As redes sociais, que já eram importantes, tornaram-se vital. O Brasil já era o quarto país em uso de celular no mundo e, com esse isolamento e as pessoas em casa, as pessoas ficam mais nas redes sociais e as empresas ficam dependentes desse serviço. É ali que as pessoas estão, então é ali que deve ocorrer a exposição de produtos e serviços", finaliza. 
 
Veja mais sobre as futuras lives - https://www.facebook.com/corleonemh/

Mais do ACidade ON