Aguarde...

cotidiano

Pais acreditam que retorno das aulas é arriscado

Na opinião de pais de alunos da rede pública, retorno das aulas deveria ficar para 2021

| ACidadeON/Araraquara

Pais acreditam que volta as aulas pode ser arriscado (Crédito: divulgação/Pixabay)
O anúncio do plano do governo paulista de retomar, gradualmente, as atividades escolares tanto para a rede pública quanto privada em meados de setembro, não agradou alguns pais ouvidos pela reportagem. Diante do crescimento dos casos de coronavírus, o melhor para eles seria retornar só em 2021.

A vendedora Diana Palombo é mãe do pequeno João Pedro, de 3 anos. O menino estuda em uma creche municipal na Vila Xavier. Ela avalia que se as aulas retornarem conforme intenção do Estado, ela não pretender mandar o filho para a escola. A preocupação é muito grande.

"Se for mesmo em setembro, eu não pretendo mandar meu filho, pois não sabemos se estará tudo normalizado. Não quero arriscar mandar meu filho e ele pegar o vírus. Se, Deus me livre, ele pega, a gente não sabe como irá reagir. Então prefiro não arriscar", afirma Diana.

A confeiteira Andréia Ortega Silva tem dois filhos matriculados em escola estadual: o João Gabriel, de 11 anos, e o João Pedro, de 7. O aumento diário dos casos de coronavírus, em Araraquara, também preocupa. Andréia avalia que voltar as aulas ainda neste ano será bastante difícil e, por mais que os pais orientem sobre os cuidados, há ainda o medo da contaminação.

"A gente precisa aguardar e ver o que irá acontecer, mas eu acho que vai ser difícil o retorno das aulas ainda neste ano. Temos medo, pois ainda está tendo muito caso e as crianças não tem a consciência de não ter contato ou dividir o lanche com os amigos". Ressalta.

Para não parar de aprender, Diana tem reforçado algumas tarefas com o filho. Ela também acredita que o retorno das aulas em 2021 deixaria os pais mais confortáveis. "Eu sei que ele esta perdendo algumas atividade, mas acho que essa volta só deve ocorrer no ano que vem, quando tudo deve estar normalizado, dentro do possível".

Na casa da Andréia, o isolamento social é levado ao pé da letra. Por lá, os filhos não saem de casa nem para cortar os cabelos. Ficar longe das pessoas, neste momento, e o melhor jeito de controlar a pandemia.

"Se todo mundo estivesse tomando o cuidado de não sair e tomar os cuidados necessários, os números estariam melhores. Meus filhos estão dentro de casa desde 16 de março", afirma.

De acordo com a proposta do governo estadual, as escolas poderão reabrir nas cidades que estiverem na fase amarela do Plano São Paulo, que prevê flexibilização da quarentena.

Para o médico sanitarista, Rodolpho Telarolli, se houver a confirmação do retorno das aulas é preciso muita atenção dos pais e as máscaras não deverão ser dispensadas.

"A família deve fazer seu papel colaborativo e não enviar as crianças que estejam com a saúde perfeita para as escolas e enviá-las sempre com as máscaras de uso individual, que são obrigatórias hoje e continuaram sendo por um longo tempo. Isso se a data de 8 de setembro permitir que as coisas aconteçam nesse momento, pois pode haver adiamento caso alguma região do estado de São Paulo não esteja na região amarela do coronavírus", finaliza.

Mais do ACidade ON