Aguarde...

cotidiano

Por causa do coronavírus, Facira de 2020 é cancelada

A tradicional feira de negócios e solidariedade de Araraquara não terá edição neste ano; participações em outras feiras também foram canceladas

| ACidadeON/Araraquara

Facira 2019 recebeu quase 130 mil pessoas (Foto: Tetê Viviane/Prefeitura)
 
A Feira Agro Comercial E Industrial Da Região De Araraquara (Facira) vai ficar para o ano que vem. A decisão reflete a pandemia do coronavírus e acompanha outras feiras semelhantes, como a Agrishow de Ribeirão Preto, que também foi adiada para 2021.

A comissão organizadora não fala em números de empresas que já estariam interessadas em expor na feira, mas revela que conversas já estavam adiantadas neste sentido.

No ano passado, além empresas locais que expuseram suas marcas na feira de negócios da Facira, oito vieram de Portugal e parte delas, segundo o vice-prefeito Damiano Barbiero Neto, já havia demonstrado interesse em repetir a parceria esse ano. 

"Desde janeiro já estamos nos preparando para a Facira e algumas participações estavam confirmadas, mas a pandemia impactou não só Araraquara, mas o mundo todo", diz ele.  

No ano passado, a Facira reuniu 140 mil pessoas durante os cinco dias de festa. O evento sempre acontece simultâneo ao aniversário de Araraquara, que é 22 de agosto. 

Mesmo sem divulgar um número para este ano, a expectativa era uma feira maior, segundo Simone Soriano, diretora do grupo que organiza a feira de negócios. Ela afirma que a parceria com a cidade portuguesa de torres vedras fortaleceu a feira.  

"A Facira é um grande evento da nossa empresa e por isso, está sendo bem difícil a questão deste cancelamento. Este ano, tínhamos a expectativa de trazer mais empresas de fora e chamar ainda mais a atenção das empresas da cidade", explica Simone.

Araraquara também não participou da feira de são pedro, evento centenário realizado em Torres Vedras, em Portugal, no mês de junho. O intercâmbio de negócios foi firmado no ano passado quando a Facira recebeu pela primeira vez empresas de fora do País.  

Para o vice-prefeito Damiano Barbiero Neto, o impacto econômico é grande em todo setor que depende da realização de eventos. E, consequentemente, nos novos negócios.  

"A participação da feira em Portugal também traria benefícios para as empresas locais, mas também foi cancelada", diz Barbieiro.  

Adiar a feira deve trazer impactos econômicos consideráveis, na avaliação de Simone Soriano. A diretora defende que a Facira tem se tornado uma importante ferramenta para as empresas fecharem negócios.

Outro agravante é a saúde financeira das empresas que permita que tenham capital para investir no ano que vem. "Estes eventos de negócios servem para gerar novos negócios e quando isso não acontece acaba prejudicando muito, movimenta muito a economia", reforça.  

SOCIAL
Outro impacto com a não realização da feira, é o social, já que a Facira tem caráter solidário. Parte da renda com a comercialização dos estandes era repassada para o Fundo Social de Solidariedade e para Fundo das Instituições Sociais De Araraquara (Fisa).  

Segundo a presidente do Fundo Social de Solidariedade, Cidinha Silva, este recurso era muito importante para manutenção de 45 entidades assistenciais do município. No ano passado, mais de duas toneladas de alimentos foram arrecadadas durante a feira.

"A Facira se tornou algo muito importante para as entidades assistências", reforça.

Segundo Cidinha Silva, sem a Facira, a situação tende a ficar ainda mais complicada para as entidades assistenciais da cidade.
"Estamos tentando criar eventos paralelos para arrecadar alimentos e outros itens e ajudar as famílias mais carentes e assim, suprir a falta da Facira", finaliza.

Mais do ACidade ON