Aguarde...

cotidiano

Mulheres são a maioria dos doentes com covid-19 em Araraquara

Cidade ultrapassou nesta quinta-feira (02) mil casos de notificações desde março, quando a pandemia começou no Brasil

| ACidadeON/Araraquara

Curva de contágio da Covid-19 em Araraquara (ArteONAraraquara)


As mulheres são as maiores vítimas do coronavírus em Araraquara, segundo aponta um levantamento feito pela Universidade Federal de São Carlos (Ufscar) com base nos números da Secretária Municipal de Saúde. Elas representam 73% dos 1.023 infectados por covid-19 desde março até esta quinta-feira (02). 
 
O perfil mostra ainda que 68% dos doentes são brancos e 32% são negros. A idade de maior incidência da doença é entre 20 e 50 anos, ou seja, a população economicamente ativa.  

"A maioria é a população ativa é o pessoal que saiu de casa para trabalhar e acaba se contaminando", explica a secretária municipal de Saúde, Eliana Honain.  

CRESCIMENTO
A covid-19 registrou um crescimento exponencial neste último mês de junho. Honain afirma que isso se deve basicamente por dois motivos, o relaxamento das medidas de isolamento social e a testagem quase que maciça em todos os pacientes com sintomas. 

Para se ter uma ideia em março, quando a pandemia chegou ao Brasil, a testagem em Araraquara alcançou 20 amostras por semana. Na última semana de junho foram quase 750 amostras testadas, sendo que 25% delas positivadas. 

A cidade completou três meses das primeiras confirmações e ultrapassou as mil notificações.  

"Essa evolução está dentro do esperado e se deve porque estamos testando muito. Temos tido um número continuo de positivados diariamente, mas tudo está dentro do que estamos preparados. Ainda temos um número de internações pequeno e o que mais nos preocupa, claro são os óbitos. Não queremos perder ninguém para a covid-19", reforça.   

Número de mortos por Covid-19 em Araraquara (ArteONAraraquara)


Nesta quinta-feira, Araraquara confirmou a 13º morte por coronavírus.  

Honain reforça que equipes de saúde estão fazendo um trabalho minucioso de monitoramento dos doentes, o que garante também que pacientes mais graves sejam internados.  

"Desde março, nosso sistema de trabalho mudou bastante. Antes acompanhávamos mais de perto o grupo de risco, agora, todos os pacientes doentes podem receber uma equipe médica em casa", reforça ela.  

ATENÇÃO
Todas as pessoas com sintomas de covid-19, como tosse, febre e falta de ar devem procurar a Unidade de Pronto Atendimento da Vila Xavier.


Mais do ACidade ON