Aguarde...

cotidiano

Produção de lixo reciclável aumenta 24 toneladas durante a pandemia

Para a presidente da Acácia, com as pessoas em casa, o volume de lixo produzido aumentou

| ACidadeON/Araraquara

Produção de lixo reciclável cresce 1,8% durante a pandemia (Foto: Paula Cardoso)
Levantamento realizado pela Cooperativa Acácia de Catadores de Materiais Recicláveis de Araraquara aponta um aumento de 1,2% de materiais recolhidos entre os meses de março a junho, num comparativo com 2019. Embora aparenta ser um percentual baixo, quando pensado em quantidade, isso representa 24 toneladas a mais de material recolhido pela cooperativa.

Foram 2,027 milhões de quilos em 2019 contra 2,051 milhões de quilos em 2020.
Para a presidente da Cooperativa Acácia, Helena Francisco da Silva, o aumento se deu por conta dos novos hábitos trazidos pela pandemia, como, por exemplo, a compra de produtos e alimentos via aplicativo. Helena ressalta que o aumento é positivo e poderia ser ainda maior, se não sumissem materiais das bags (sacos de reciclável) ou a própria bag.

"Já tivemos um momento melhor. Vinha materiais que as pessoas que estão em casa, estão separando e mandando pra gente. Mas, quando abriu os ferros velhos, esse número caiu, pois temos pessoas que coletam, que pegam os materiais dos bags e até os próprios bags eles levam embora".  

Foram 24 toneladas a mais durante a pandemia da covid-19 (Foto: Paula Cardoso)
Helena conta que os números da coleta variam por mês e nem todos são positivos. Em março, por exemplo, teve um aumento de 10,2%, com 515.360 quilos em 2019 e 568.170 quilos em 2020. Já em abril, houve uma queda de 0,6% em relação ao mesmo período do ano passado. Os números variam de acordo com as situações externas.

Segundo Helena, muita gente ainda não faz a separação do lixo reciclável e, quando faz, não é da maneira correta. Exemplo disso, é a separação de material hospital.
"Elas precisam colaborar um pouco mais, não enviar máscaras, luvas e fraldas, que podem ir pra o lixo comum. Pra nós é ruim que esse material venha para cá, pois pode contaminar alguém que esta trabalhando", explica.  

Atualmente, a Acácia trabalha com 200 cooperados. Desde março, quando começou a pandemia, pelo menos 40 deles foram afastados pra evitar um possível contato com a covid-19, já que a maioria tinha comorbidade. Ainda assim, três pessoas já positivaram pra doença.
Helena explica que todos os catadores trabalham com luvas e máscaras e são orientados a respeitar o distanciamento.

"Nós seguimos as normas desde o início. Foram 40 pessoas afastadas devido a covid, algumas voltaram e outras não puderam. Tivemos que contratar para esse período de maior movimento e atualmente, 12 cooperados estão afastados", finaliza.


Mais do ACidade ON