Aguarde...

cotidiano

Covid-19 é a sétima maior causa de morte em Araraquara

oença está presente em 6,5% das 1.733 mortes registradas no ano passado, segundo os Cartórios de Registro Civil do Brasil

| ACidadeON/Araraquara

Covid-19 é a sétima doença que mais mata em Araraquara (Créditos: FreePik)
 
A covid-19 foi a sétima maior causa de morte no ano passado, em Araraquara. Ao todo 111 pessoas podem ter perdido a vida em decorrência da doença, segundo o Portal da Transparência dos Cartórios de Registro Civil do Brasil.

O número está acima das 92 mortes divulgadas até o dia 31 de dezembro pelo Comitê de Contingência do Coronavírus porque foram considerados casos suspeitos e confirmados da doença.

Segundo a secretária municipal de Saúde, Eliana Honain, no início da pandemia havia demora para análise e confirmações dos casos, que eram concentrados no Instituto Adolfo Lutz.  

"A pessoa que morre de forma suspeita é registrada no cartório como covid-19 e depois é feito a retificação no nosso sistema, mas não no cartório. Além disso, no começo da pandemia tudo estava muito demorado no que diz respeito a confirmações", explica Honain.

DOENÇAS RESPIRATÓRIAS  
A covid-19 registrou o mesmo número de mortes que Insuficiência Respiratória (111), e mais que Síndrome Respiratória Aguda Grave (3) e causas indeterminadas (2).

Tanto em 2019, quanto em 2020, causas diversas, pneumonia não relacionada à covid-19 e septicemia foram as causas mais comuns de morte na cidade.

O médico pneumologista Flávio Arbex explica que a diferença entre as causas de morte está na forma de contaminação. O coronavírus tem transmissão aérea e é altamente contagioso.   

 "É uma doença de fácil disseminação e está crescendo de forma expressiva principalmente porque a população abaixou a guarda e deixou de lado algumas medidas básicas"  

MORTES 
Em 2020, 1.733 pessoas morreram em Araraquara. Este número é 58% maior do que o registrado em 2019, que contabilizou 1.091 óbitos. Mortes violentas não entram na estatística.

Do total de vidas perdidas, o coronavírus estava presente em 6,5% dos casos.

Segundo o professor Bernardino Alves Souto, uma das hipóteses para o aumento da mortalidade em 2020, em relação a anos anteriores, é exatamente a epidemia, uma vez que o número de mortes registradas foi maior do que o espero.

O médico pneumologista Flávio Arbex ressalta ainda até mesmo mortes por outras doenças podem estar associada à covid-19. "Tem muitas complicações por trás da covid, pessoas que deixaram de procurar o sistema de saúde, por exemplo, e outras negligências". explica. 

Ainda segundo ele, mesmo com o número menor de mortes, se comparado a outras doenças, é preciso considerar também as sequelas que ficaram em pacientes curados. Outro ponto são os cuidados que devem continuar mesmo após a chegada da vacina.



Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON