Publicidade

cotidiano

Médica alerta para o perigo dos poluentes no ar de Araraquara

Cidade está sob alerta da Cetesb por causa da qualidade do ar considerada muito ruim, principalmente por conta das queimadas

| ACidadeON/Araraquara -

Céu de Araraquara ficou avermelhado após ventos fortes e queimadas (Foto: Amanda Rocha/ACidade ON)
A tempestade de poeira e fuligem chamou a atenção dos morados de Araraquara e região e fez o céu ganhar um tom avermelhado, na tarde da última quarta-feira (8). 

Araraquara está em alerta. A qualidade do ar medida pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) chegou a 156 nesta quinta-feira (9), em um índice que vai de 0 a 200. Isso significa que o nível de poluentes na atmosfera deixam a qualidade do ar muito ruim. 

Por isso, em entrevista a rádio CBN Araraquara, a médica pneumologista, Renata Arbex, fala sobre o perigo para a saúde das pessoas com este material poluente que fica suspenso na atmosfera. 

"A gravidade é muito maior que essa que nós enxergamos, pois só enxergamos as partículas maiores, que também fazem mal para o sistema respiratório - mas que são normalmente bloqueados pelos pelinhos do nariz - porém, o maior problema são os materiais particulados menores, que chegam nas pequeniníssimas vias aéreas, que tem contato com os vasos sanguíneos e geram um problema inflamatório, deflagrando para o sistema cardiovascular e aumentando a chance de infartos agudos do miocárdio, acidentes vasculares cerebrais, além da própria dilaceração do sistema respiratório de quem tem asma, doenças pulmonares crônicas, fibroses e até quem não tem, sente esse incomodo", explica. 

CUIDADOS
A médica destaca ainda que neste momento é importante que a pessoa cuide bem de seu sistema imunológico, praticando exercícios físicos, estar bem hidratado, umidificar os ambientes e até o uso da máscara deve ajudar nesse momento, para respirar sem tanta agressão. 

Para Renata, é importante que as pessoas se conscientizem e cuidem do meio ambiente. "O que fazemos ao meio ambiente e o que fizeram ao meio ambiente está retornando e em condições que nunca vimos antes, então as queimadas, o uso de água de maneira indiscriminada são agressões que acontecem ao meio ambiente há tanto tempo, estamos pagando o preço atualmente. Espero que com isso, nos conscientizemos como sociedade para que futuramente não atravessemos momentos como esse, que imaginamos que serão piores", finaliza.

Mais notícias


Publicidade