Publicidade

cotidiano

Araraquara tem aumento de 9,6% no IPTU e na Taxa de Resíduos Sólidos

Prefeitura explica que está considerando o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), calculado no período de setembro de 2020 a agosto de 2021

| ACidadeON/Araraquara -

Araraquara terá reajuste de quase 10% no IPTU (Foto: Amanda Rocha)
 
O Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) vai ficar quase 10% mais caro. A Prefeitura de Araraquara divulgou nos atos oficiais, o decreto municipal que estabelece atualização monetária dos valores venais imobiliários do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) a partir do exercício de 2022.

O reajuste de 9,68% foi definido pela Secretaria Municipal de Governo, Planejamento e Finanças considerando apenas o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), calculado no período de setembro de 2020 a agosto de 2021, ou seja, nos últimos 12 meses.

De acordo com a secretária de Governo, Planejamento e Finanças, Juliana Agatte, desde 2018 a Prefeitura não faz essa atualização no valor do IPTU ou o reajuste com base na inflação. Se isso fosse feito, hoje esse índice chegaria a 21%.

"Ao mesmo tempo, no decorrer desse período, estamos vivenciando custos maiores e elevação de preços. Para que o município não perca em arrecadação e consiga fazer frente às suas despesas, estamos atualizando o valor do IPTU na ordem de 9,68%. Ou seja, estamos apenas repondo a inflação dos últimos 12 meses, mesmo as perdas do período tendo sido maiores, porque entendemos a atual situação econômica difícil para todos", afirmou Juliana Agatte.

Ela reforça todo o esforço da Prefeitura no último período para manter os serviços públicos nas diversas áreas em funcionamento, mesmo com a inevitável drenagem de recursos do próprio municipal para a saúde, em especial, para o enfrentamento à pandemia.


RESÍDUOS SÓLIDOS 
Araraquara também terá reajuste na Taxa de Resíduos Sólidos, instituída em 2014. A exemplo da atualização dos valores venais imobiliários, a atualização da taxa ficou na ordem de 9,68%, conforme cálculo do IPCA apurado no período de setembro de 2020 a agosto de 2021.  

"A atualização é necessária para a manutenção do serviço e somente repõe a inflação de setembro do ano passado a agosto desse ano, mesmo as perdas do período tendo sido maiores. No entanto, a Prefeitura e DAAE entendem que, por conta do período econômico difícil, agravado pela pandemia de Covid-19, não seria possível repor todas as perdas inflacionárias", reforçou Donizete Simioni, superintendente do Departamento Autônomo de Água e Esgoto (DAAE).

Ainda de acordo com o decreto municipal, a atualização vai passar a vigorar na forma das tabelas que estão detalhadas no documento, considerando as categorias residencial, comercial, industrial, público e mista.

Mais notícias


Publicidade