Publicidade

cotidiano

Prefeitura abre sindicância para apurar atendimento prestado à vítima de espancamento

José Marciano dos Santos Silva foi morto na última quarta-feira (27), mas já tinha sido agredido dias antes

| ACidadeON/Araraquara -

Crime ocorreu nas primeiras horas desta quarta-feira (27) no Jardim Iedda (Foto: Colaboração)
A Secretaria Municipal de Saúde de Araraquara está abrindo sindicância para apurar os fatos e os serviços prestados ao senhor , 45 anos, espancado até a morte no Jardim Iedda, na última quarta-feira (27). Seu caso já vinha sendo acompanhando pela Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social e pela Secretaria Municipal de Saúde, com vistas à sua internação psiquiátrica. 

A mobilização da Assistência e da Saúde começou na quarta-feira (20), quando equipes do Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) Cruzeiro do Sul tomaram conhecimento que o mesmo havia agredido um homem com um pedaço de pau e fugido, em seguida. Na sequência, ele ainda teria agredido outras pessoas. 

No dia 21, houve uma reunião entre os técnicos de CRAS Cruzeiro do Sul e da Estratégia de Saúde da Família (ESF) do Jardim Ieda para discutir e criar estratégias sobre a situação do Sr. Marciano. A equipe do ESF relatou que já haviam sido registradas outras agressões. Neste mesmo dia, a equipe do Centro POP foi acionada pela gestão do CRAS e, numa ação articulada, o Serviço Especializado de Abordagem Social (SEAS) saiu para abordagem na região da Avenida dos Eletricitários, mas não o encontrou. 

No dia seguinte, sexta-feira, dia 22, às 4h45, ele foi encaminhado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Central por uma ambulância da Triângulo do Sol, após ser encontrado na rodovia, confuso, alegando que havia sofrido uma queda, com dor na mão e um ferimento na cabeça. Na consulta médica, ele alegou ter sofrido agressão física e de ter feito uso de álcool. Após avaliação clínica e radiológica, o paciente recebeu alta médica. 

A equipe do SEAS recebeu a informação de que ele havia sido agredido por populares. A polícia militar foi acionada e a equipe do SEAS também foi até o local e conversou com alguns populares. 

Depois disso, o sr. Marciano ainda retornou à UPA Central no sábado e no domingo, dias 23 e 24 de outubro. No sábado, ele aparentava estar sob efeito de álcool e outras drogas e com discurso incoerente durante a consulta médica. No domingo, ele procurou novamente atendimento médico, mas não se queixava de dores e estava consciente e orientado. Neste dia, o irmão do sr. Marciano foi até a UPA para buscá-lo. 

Ainda no sábado, a equipe do SEAS foi até a UPA para verificar a situação do sr. Marciano e sugeriu sua internação no Hospital Psiquiátrico Cairbar Schuttel. No entanto, o médico plantonista que atendeu informou que o paciente estava de alta médica. 

Mesmo assim, diante da situação iniciada na semana passada e de todos os fatos registrados no fim de semana, técnicos da Saúde e da Assistência Social iniciaram uma articulação com a finalidade de realizar a internação psiquiátrica do sr. José Marciano. 

Diante do desfecho trágico, para que os fatos sejam melhor apurados, a Prefeitura decidiu abrir sindicância para apurar a conduta dos profissionais de todos os serviços pelos quais o paciente passou. 
 
LEIA MAIS  
Homem é espancado até a morte no Jardim Iedda  

Homem é socorrido após ser agredido a pauladas em Araraquara

Mais notícias


Publicidade