Publicidade

cotidiano

Prefeitura e Estado fecham convênio que prevê 344 moradias em Araraquara

Araraquara foi uma das 7 cidades do Estado de São Paulo contempladas no programa Nossa Casa, com a modalidade Preço Social

| ACidadeON/Araraquara -

Araraquara é uma das sete cidades do estado de São Paulo contempladas na modalidade Preço Social do programa Nossa Casa
Araraquara é uma das sete cidades do estado de São Paulo contempladas na modalidade Preço Social do programa Nossa Casa
A Prefeitura de Araraquara assinou nesta quinta-feira (02) convênio com a Secretaria Estadual de Habitação para implantação do programa "Nossa Casa" na cidade. No total, serão construídos 344 apartamentos na modalidade do programa chamada "Preço Social". Araraquara é uma das 7 cidades do Estado a serem contempladas nesta modalidade. As demais são Avaré, Carapicuíba, Ferraz de Vasconcelos, Igarapava, Marília e Mongaguá.

O prefeito Edinho Silva agradeceu a parceria com o governo paulista, em nome do Governador João Doria, do secretário Estadual de Habitação, Flávio Amary, e do presidente do CDHU, Silvio Vasconcelos.

"A política habitacional no Brasil, após o encerramento do maior programa da história, o Minha Casa, Minha Vida, na faixa 1, sofreu um grande impacto, ocasionando, claro, o aumento do déficit de famílias em busca da casa própria. É papel do poder público pensar, planejar e construir caminhos para garantir o direito à habitação. O programa abre perspectivas não só na área habitacional, como também na geração de emprego e renda", destacou o prefeito.

O programa "Nossa Casa" conta com três modalidades: Preço Social, CDHU e Apoio. Na modalidade "Preço Social", que contará com a construção de 2.566 unidades em todo o Estado e na qual Araraquara está inserida, as prefeituras fazem a oferta dos terrenos e, por meio de licitação pública, é definida a empresa privada responsável por desenvolver o empreendimento.

Parte das unidades habitacionais é destinada a preço social, ou seja, com valor bem reduzido em relação ao preço normal, para famílias de baixa renda, com cotas específicas para residentes em áreas de risco e famílias que recebem auxílio aluguel municipal. O restante das unidades habitacionais é comercializado pela empresa a preço de mercado.

PREÇOS

Os imóveis contam com dois dormitórios com 45 m² de área útil (casas) e 40 m² (apartamentos). Os valores dos imóveis a preço social são fixados confirme critério populacional: R$ 110 mil nas cidades acima de 250 mil habitantes e R$ 100 mil nas abaixo de 250 mil habitantes.

A secretária de Desenvolvimento Urbano, Sálua Kairuz Poleto, destacou o funcionamento e a estrutura do projeto.

"O programa Nossa Casa Preço Social prevê aumento do subsídio para compra das unidades habitacionais que serão construídas pelo setor privado, possibilitando a aquisição da casa própria com parcelas mais acessíveis. É um importante programa do governo do Estado para produção de moradia e geração de emprego", ressaltou.

LOCALIZAÇÃO

O coordenador da secretaria, Alcindo Sabino, mencionou a participação da Prefeitura na concretização do programa. "Nós já indicamos uma área no Residencial Acapulco e temos um projeto inicial de construção de 344 apartamentos. Os próximos passos serão a licitação para contratação do projeto e depois a contratação da empresa para execução da obra. Mais detalhes sobre o cadastro e o público beneficiado serão anunciados posteriormente", disse.

No total, o Nossa Casa terá investimento de R$ 1,1 bilhão para a construção de 10,5 mil unidades habitacionais em 87 municípios.

Mais notícias


Publicidade