Publicidade

cotidiano

Veja a programação do Mês do Orgulho LGBTQIA+ em Araraquara

Agenda terá início nesta sexta-feira (24) e vai até o dia 1º de julho

| ACidadeON/Araraquara -

 

 

Mês do Orgulho LGBTQIA+ tem programação especial em Araraquara (Foto: Amanda Rocha)

 




Junho é conhecido internacionalmente como o Mês do Orgulho LGBTQIA+ (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgêneros, Travestis, Transexuais, Queers, Intersexos, Assexuais e todas as identidades sexuais e de gênero), que será celebrado com uma programação especial promovida pela Assessoria Especial de Políticas LGBTQIA+ da Prefeitura de Araraquara.

A programação terá início nesta sexta-feira (24), com o apoio da Assessoria Especial de Políticas LGBTQIA+ ao desfile "Encruzilhada Futurista", a ser realizado às 19h no CEAR, e "Travada", festa cultural LGBT a ser realizada às 23h na LED.

No sábado (25), às 16h, será realizado o evento "Ocupando a pixta", na Praça Scalamandré Sobrinho. Na segunda-feira (27), o Centro de Referência e Resistência LGBTQIA+ sediará o Cine LGBT às 19h30. 

 VEJA TAMBÉM  

Ratos de Porão e Viper são destaques do Araraquara Rock 2022 

Pontilhão de Araraquara fica sem energia elétrica após furto 


Na quinta-feira (30), às 10h, será realizada a inauguração da Casa Abrigo LGBTQIA+, que acolherá pessoas LGBTs em situação de rua ou que foram expulsos de seus núcleos familiares.

A programação será concluída no dia 1º de julho, sexta-feira, às 19h, com a Plenária LGBTQIA+ no Centro de Referência da Mulher, que fica na Av. Espanha, 532, Centro.
 

SOBRE A DATA
O mês de junho foi escolhido para representar o Orgulho LGBTQIA+ como homenagem ao episódio que muitos historiadores consideram como o início da luta organizada pelos direitos dessa comunidade nos Estados Unidos e, paralelamente, em outros países ocidentais. 

Foi em 28 de junho de 1969 que os frequentadores do Stonewall Inn, bar gay no vilarejo de Greenwich, em Nova York, resolveram dar um basta nos anos de violência e perseguição policial aos seus membros e espaços de convivência, causando a revolta que daria origem ao movimento LGBT+ de hoje. 

 LEIA MAIS 

Araraquara atende pacientes com pós covid gratuitamente

Publicidade