Estátua do Cristo convive com abandono e plantação de mandioca

Monumento inaugurado em 1980 não recebe manutenção há muitos anos

    • ACidadeON/Araraquara
    • Willian Oliveira
ACidade ON - Araraquara
Estátua do Cristo não recebe manutenção há anos (Willian Oliveira/ACidadeON/Araraquara)

 

“Graciano da Ressureição Affonso, oferece este monumento de Cristo Redentor ao povo de Araraquara pedindo que ele esteja cada vez mais presente nesta cidade pela Justiça e pelo Amor”.
O desejo do imigrante português, que viveu na cidade boa parte de sua vida, e em Araraquara constituiu um grande patrimônio, ficou eternizado nesta frase esculpida em uma placa, presente até hoje no monumento.

VEJA FOTOS DO ESTADO DE CONSERVAÇÃO DO MONUMENTO

O falecido empresário só não contava que, com o passar dos anos, seu presente seria tão menosprezado e ofuscado pelo crescimento desordenado da cidade.

A reportagem do Portal A Cidade ON Araraquara foi até a Rua Professora Ergília Micelli, no Jardim Regina, e encontrou o monumento abandonado, sem conservação e manutenção há muito tempo.

A base de sustentação tem infiltrações e rachaduras. A pintura está descascada. Há musgos e outras plantas crescendo por toda construção. O para-raios está com o cabo cortado e uma descarga elétrica pode danificar ou até mesmo destruir o patrimônio.

O terreno é um capítulo à parte, está sujo, cheio de lixo, entulho e o mato só não fica alto porque o comerciante Manoel Vinos, tem usado seu tempo livre para capinar o local.

“Quando eu cheguei aqui da primeira vez tinha mamona com dois metros de altura. Isso aqui estava tomado pelo mato. Eu fui devagar, fazendo como posso, tentando fazer o que os outros deveriam e não fazem”, diz ele.

Para tentar manter o espaço melhor conservado ele resolveu transformar a área em uma horta. Os canteiros já foram formados e a primeira leva de mandioca já foi plantada.

“Eu estou tentando deixar limpo. Ao invés de mato teremos aqui alguma coisa que serve para as pessoas”, justifica.

ACidade ON - Araraquara
Morador limpou terreno que estava tomado pelo mato e plantou mandioca (Willian Oliveira/ACidadeOn/Araraquara)

 

Outro morador, que preferiu não se identificar foi mais além: “O Cristo virou um lugar pra sexo e consumo de drogas. Ninguém vem aqui de noite ver como está a situação. Agora, com a reportagem, com certeza vão vir encher o saco do seu Manoel que está tentando diminuir a pouca vergonha que virou isso aqui fazendo uma coisa boa”, disse.

O terreno está cheio de camisinhas e embalagens de preservativo. Há pinos comumente usados para acondicionar cocaína por todo lado assim como fezes, fraudas e outros objetos.
Monumento está escondido

Cristo, que para os fiéis representa a libertação está aprisionado, cercado por muros e quase invisível aos olhos dos moradores de Araraquara.

A praça onde ele ficava foi reduzida a um pequeno quadrado quando os terrenos no entorno foram doados para empresas que construíram enormes muros e barracões que encobrem a visão da estátua em quase todas as direções.

Mudança de local

Por muitos anos se discutiu a retirada da estátua do local não só pelas construções no seu entorno, mas também porque a região é uma das mais conhecidas áreas de prostituição da cidade. A rotatória de entrada da cidade, no entroncamento entre as rodovias Washington Luís (SP-310), Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-255) e Rodovia Antônio Machado Santana (SP-255), foi um dos locais cogitados para receber o monumento que ficaria de braços abertos para receber quem chega a cidade.

A ideia não prosperou por diversos motivos, um dos principais, o custo do projeto.

O que diz a Prefeitura?

Em nota, a Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Araraquara disse que uma equipe da Secretaria de Obras e Serviços Público irá ao local para avaliar a situação e organizar ações de suporte e manutenção do monumento.  A Defesa Civil também fará uma inspeção na estátua do Cristo Redentor.


0 Comentário(s)

Seja o primeiro a comentar.