Aguarde...

ACidadeON Araraquara

Araraquara
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Após morte de Fernanda Girotto, canadenses se mobilizam por segurança no trânsito

Petição online, feita no dia seguinte ao atropelamento da jovem já tem mais de 3 mil assinaturas

| ACidadeON/Araraquara

ACidade ON - Araraquara
Fernanda Girotto, de 15 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu ao ser atropelada por um carro no Canadá (Reprodução/Facebook)

 

A morte prematura de Fernanda Girotto, a estudante de 15 anos que morava em Araraquara e morreu atropelada na última quarta-feira (17), na cidade de Barnaby, no Canadá, ganhou as redes sociais do país norte-americano pela tragédia, mas também por um movimento civil que pede mais segurança para o local onde ela sofreu o acidente.

Um dia depois do ocorrido com a brasileira, a jovem canadense, Sarah Kate Salmon, publicou no site change.org (clique aqui e colabore com o abaixo assinado) uma petição exigindo das autoridades locais providências para deixar a estrada de Cariboo mais segura. Até o começo da tarde deste domingo a página contava com mais de 3.200 assinaturas.

VEJA FOTOS DO ACIDENTE

Na justificativa, Sarah, que frequenta uma igreja nas imediações, lamenta a morte de Fernanda Girotto e cita que, no dia seguinte ao atropelamento, um ciclista também foi atingido por um veículo. O rapaz, apesar de ferido, sobreviveu. Segundo ela, outros dois casos foram testemunhados ali recentemente.

"Existem centenas de usuários de ônibus, crianças, adolescentes, idosos, corredores, ciclistas e adultos comuns em risco. Eu pessoalmente quase fui atingida um punhado de vezes, e nunca me sinto segura, cruzando a rua do ponto de ônibus.", escreve Salmon.

A internauta defende que sejam instalados sinais luminosos no cruzamento, semáforos ou até mesmo radares para obrigarem os condutores a reduzirem a velocidade no local, que de acordo com sua descrição tem muito movimento de pedestres.

Leia Mais

Estudante de Araraquara morre ao ser atropelada no Canadá

Consulado do Brasil no Canadá presta apoio aos familiares de Fernanda Girotto

Estudante atropelada no Canadá voltaria para Araraquara em 15 dias

Só da igreja dela são cerca de 600 pessoas passando por ali constantemente. Há ainda outra igreja em frente com aproximadamente 800 membros e muitas casas que moram estrangeiros que desconhecem os perigos da via e até uma creche.

Problema conhecido

Sarah comentou em uma entrevista que muita gente já havia solicitado ao município, que fica na província canadense de Colúmbia Britânica, que algo fosse feito na estrada de Cariboo. “Houve inúmeras tentativas com essas igrejas para chegar ao departamento de engenharia da cidade de Burnaby para colocar algo no lugar para nos manter seguros", disse Salmon ao jornal Barnaby Now.

O periódico destaca que em 2017 a cidade recebeu cinco queixas sobre preocupações de segurança relacionadas a faixa de pedestre. Duas foram feitas pela igreja de Sarah, outra por uma irmandade e as demais pelos próprios moradores. A informação teria sido confirmada pelo diretor de segurança pública de Barnaby, Dave Critchley.

"Se identificarmos quaisquer melhorias de segurança que possam ser feitas imediatamente, nós as faremos. A Cidade irá analisar atentamente os incidentes [da quarta-feira] e [quinta-feira] para determinar as próximas etapas de melhorias para a segurança de todos os envolvidos", disse Critchley ao Barnaby Now.

Causas do acidente

A polícia canadense ainda investiga as causas do acidente. De acordo com o apurado pelo portal A Cidade ON Araraquara, Fernanda Girotto usava roupas escuras, o tempo estava ruim e o motorista do carro que a atropelou pode não tê-la visto.

Após ser atingida ela ainda teria sido atropelada por outro carro. A jovem não resistiu aos ferimentos e morreu ali mesmo no local.

Tudo indica que ela estava na faixa de pedestres, mas ainda não há confirmação desse fato por parte da polícia de Barnaby.

Corpo ainda não foi liberado

A grande repercussão do caso no Brasil e também no país norte-americano fez com que as autoridades canadenses se cercassem de cuidados na apuração do caso.
O corpo da jovem Fernanda Girotto ainda não foi liberado para os pais que viajaram para lá no dia seguinte ao acidente.
Legistas devem fazer um novo exame necroscópico nesta segunda-feira (22), em busca de respostas que possam ajudar nas investigações. Só então o corpo de Fernanda Girotto deverá retornar ao Brasil.

Sepultamento
Ainda não há confirmação oficial, mas Fernanda Girotto deve ser enterrada em Santa Rita do Passa Quatro, cidade onde nasceu e viveu alguns anos com seus pais, que também são naturais de lá.
Há expectativa que haja ao menos uma cerimônia rápida em Araraquara, cidade em que ela vivia já há alguns anos e também tinha muitos amigos e familiares.

Intercâmbio

Fernanda Girotto foi para o Canadá participar de um programa de intercâmbio com a irmã, de 17 anos. As duas faziam um “intensivão” de inglês para melhorar a fluência no idioma. Elas moravam na casa de uma família, como parte da proposta de ensino.

O curso terminaria no dia 31 de janeiro quando elas retornariam para o Brasil.
 

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Cadastrados

Nome (obrigatório)
Email (obrigatório)
Comentário (obrigatório)
0 comentários

Veja também