Aguarde...

cotidiano

Araraquara tem 29 mil pessoas no grupo de risco do coronavírus

Doentes crônicos, como diabéticos e aqueles com doenças cardiovasculares também estão na lista dos mais vulneráveis

| ACidadeON/Araraquara

Araraquara tem 29 mil pessoas no grupo de risco do coronavírus (Foto: Reprodução/Pixabay)
 
Araraquara tem mais de 29 mil pessoas entre a população mais vulnerável ao coronavírus. Segundo a última estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) são quase 13 mil homens e 16 mil mulheres, acima dos 60 anos.  

E quem tem um idoso na família, tem redobrado os cuidados para evitar exposição à doença. Na casa da jornalista Rita Mota a preocupação é com a mãe dela, que tem 84 anos. "Minha mãe está no grupo de risco pela idade e ser diabética, hipertensa e ter problemas renais".  

Desde que os primeiros casos de coronavírus começaram a aparecer, os cuidados foram redobrados. "Não deixo que ela saia de casa, tudo que ela precisa na rua sou eu que faço e quando retorno me higienizo", relata ela.  

Segundo as recomendações do Ministério da Saúde, pessoas com 60 anos ou mais devem permanecer em isolamento. A recomendação também é válida para doentes crônicos, como diabéticos e aqueles com doenças cardiovasculares.  

A aposentada Maria Helena de Souza tem 71 anos. Ela tem seguido as orientações e evitado lugares com aglomeração de pessoas gente. "Estou evitando ao máximo".  

Alice Geraldo Scabello tem 71 anos e também sabe que precisa se cuidar. "Lavando bem as mãos com detergente e usando álcool", afirma.  

Os cuidados valem até mesmo para quem já esta acostumado a viver mais isolado.  

As visitas na Vila Vicentina estão suspensas. Uma forma de preservar a saúde dos 62 idosos, que moram na instituição.  

O diretor-presidente da vila, José Humberto Candreva, explica que esta foi apenas uma das medidas adotadas internamente para prevenção ao coronavírus. O uso do álcool em gel também foi intensificado. "Mas a principal orientação é usar água e sabonete e lavar as narinas".  

No Lar São Francisco de Assis as visitas também foram suspensas. Como explica a chefe de enfermagem, irmã Maria Sônia Silva. "A decisão foi tomada junto com os familiares"

Mais do ACidade ON