Aguarde...

cotidiano

Abertura do comércio em Matão pode render multa de R$ 10 mil

Novo decreto foi lido pelo prefeito Edinardo Esquetini (PSB), nessa segunda-feira (23), pelas redes sociais da Prefeitura

| ACidadeON/Araraquara

Medidas foram anunciadas pelo prefeito Edinardo Esquetini (PSB) (Foto: Divulgação)



O comerciante que não cumprir a determinação de fechamento em Matão pode ser multado em R$ 10 mil ao dia e ter o alvará de funcionamento cancelado. A informação é do prefeito Edinardo Esquetini (PSB), assinou novo decreto com medidas relacionadas a prevenção a covid-19. 

Ao todo foram assinados dois decretos pela Prefeitura, nesta segunda-feira (23). O primeiro regulamenta funcionamento de supermercados, açougues, farmácias e padarias no município. Pelo documento fica proibida a entrada de crianças menores de 12 anos e idosos (maiores de 60 anos) fora do horário de atendimento especial. Há exigências ainda como distância entre consumidores e higienização permanente dos locais de uso comum. 

O segundo documento, complementa o decreto que determinou o fechamento do comércio pelo prazo de 12 dias, estipulando multa de R$ 10 mil ao dia para quem descumprir. Com isso, somente empresas cujo funcionamento sejam considerados essenciais podem seguir funcionando na cidade, como por exemplo, farmácias, postos de gasolina, clínicas de atendimento à saúde, mercados, padaria e similares. Bares, restaurantes e similares podem funcionar apenas serviço de entrega. 

"Nós temos hoje uma necessidade enorme de apertar o cerco, de uma forma intensa ampliar as condições e o tratamento a nossa população devido a uma projeção do Ministério da Saúde de que essa semana e a próxima serão decisivas, pois o pico se daria na segunda quinzena de abril e nós teríamos uma problemática enorme. Se nós conseguirmos restringir ainda mais e evitar a circulação, talvez os números não sejam tão negativos no mês que vem", explica Esquetini. 

Os novos decretos assinados pelo prefeito de Matão passam a valer a partir dessa terça-feira (24) e deve ter fiscalização intensa, conforme determinação do Poder Público municipal.

Mais do ACidade ON