Aguarde...

cotidiano

Máscaras de tecido são apostas de pequenos empreendedores

Entretanto, médica alerta que as máscaras de tecido, sem registro da Anvisa, não protegem contra a inalação do vírus

| ACidadeON/Araraquara


Em tempos de crise por conta do coronavírus muita gente tem se virado como pode. Até mesmo no uso e confecção de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), como máscaras, por exemplo. O produto hospitalar está em falta nas farmácias por conta do aumento da procura.

Em Araraquara, nas redes sociais é possível encontrar diversas propagandas de vendas de máscaras confeccionadas em casa. Os preços variam de R$ 5 a R$ 10.

A alternativa chamou a atenção da manicure Priscila Espassa. Ela faz o uso da máscara na hora de atender as clientes. Como não encontrou na farmácia, resolveu procurar na internet e encontrou as de pano, que hoje fazem parte de seu kit profissional. "Tinha estoque de máscara, mas por causa da pandemia meu estoque acabou. Fiquei em desespero e encontrei essas de tecido na internet. Agora eu tenho as máscaras e lavo cada vez que as utilizo"

A dona-de-casa Ana Claudia Fernandes também resolveu comprar a máscara caseira pra prevenção do coronavírus. "Comprei uma para cada pessoa da minha família.

Atenção
A médica pneumologista Renata Arbex explica que as máscaras só devem ser usadas pra pacientes que apresentam sintomas gripais ou infecção respiratória, como o coronavírus. Além disso, as máscaras de pano, que não tem a certificação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), não são eficazes na proteção contra a inalação do vírus.

"Está tendo uma grande confusão em relação ao uso das máscaras. As máscaras de pano que são caseiras, não tem certificado da Anvisa. Até podem ser utilizadas por quem não tem os sintomas, mas ela pode ficar úmida e perde o fator de proteção. Além de faltar o filtro que protege contra a inalação do vírus", diz a médica.

A recomendação é que para pessoas que tenham os sintomas, como tosse e coriza, seja usada a máscara hospitalar, simples. "Entretanto, estas também precisam ser trocadas de quatro em quatro horas, senão perdem o efeito", recomenda.


Mais do ACidade ON