Aguarde...

cotidiano

Presos de Araraquara vão produzir máscaras de proteção a covid-19

Ao todo, no Estado, serão 320 mil, sendo 26 mil por dia em fábricas adaptadas nas unidades prisionais

| ACidadeON/Araraquara

Fábrica foi adaptada para produção de máscaras nas unidades prisionais (Foto: Ana Paula Igual/Funap)
 

Reeducandos da penitenciária de Araraquara vão trabalhar em fábrica adaptada para ajudar na produção de máscaras de proteção ao novo coronavírus. A informação é da Secretaria de Administração Penitenciária de São Paulo. Ao todo, no Estado, serão 320 mil máscaras produzidas nas unidades prisionais. 

Segundo informações da coordenadoria da Região Noroeste (CRN) cerca de 200 presos, de penitenciárias masculinas e femininas, devem atuar na confecção de máscaras de proteção descartáveis para uso em procedimento simples (não cirúrgicos). A previsão do órgão é que sejam produzidas 26 mil peças por dia nas fábricas adaptadas especialmente para isso. 

No início da semana, o governador João Dória havia anunciado a adaptação das fábricas nas unidades prisionais para produção das máscaras. Segundo estimativa do Governo, cada peça terá de despesa de R$ 0,80 e, posteriormente, serão vendidas a preço de custo. As fábricas foram adaptadas para confecções de máscaras e receberam higienização. 

Os detalhes da produção na cidade devem ser passados nesta sexta-feira (27), quando funcionários retornam de treinamento na unidade de Tremembé.

Mais do ACidade ON