Aguarde...

cotidiano

Mapeamento aponta que covid-19 está em todas as regiões de Araraquara

Site desenvolvido em parceria da Prefeitura com a UFSCar traz dados detalhados sobre o novo coronavírus no município

| ACidadeON/Araraquara

'Mapa' foi desenvolvido através de parceria entre a Prefeitura e a UFSCar (Arte: Prefeitura)
 

Levantamento da Prefeitura, em parceria com a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) aponta que a covid-19 atingiu toda a cidade de Araraquara. Com isso, a administração alerta moradores para o contágio da doença no município. 

O Centro lidera o número de casos (13 confirmados, seguido pelo Adalberto Roxo (13), Yolanda Ópice (11), Jardim das Estações (8), Jardim Pinheiros (8) e Vale do Sol (8), mas 88 bairros de Araraquara já tiveram pelo menos um caso confirmado.  

As informações são de um estudo desenvolvido pelo Grupo de Inovação e Extensão em Engenharia Urbana (Urbie), vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia Urbana da UFSCar. Os dados estão publicados em um site interativo do projeto Urbie Maps, com mapas e infográficos com dados fornecidos pela secretaria da Saúde.

Além desse mapeamento dos casos por bairro, o site também mostra a evolução diária dos casos de coronavírus, a faixa etária dos pacientes confirmados e o número de testes feitos pelo município, entre outras informações.  

Evolução dos números também consta em levantamento (Arte: Prefeitura)


A semana passada, por exemplo, foi a de maior número de testes: 354 pessoas passaram por diagnóstico, sendo que 298 deram negativo e 56 (15,8% do total) tiveram a Covid-19 confirmada. Como comparação, a primeira semana de maio teve 133 testes, com 29 confirmações.

"O número de casos está aumentando em Araraquara porque, além de o vírus estar circulando, nós ampliamos a testagem", explica a enfermeira sanitarista Fabiana Araújo, da Vigilância em Saúde.

Até esta terça-feira (2), a faixa entre 20 e 49 anos possui o maior número de pacientes com covid-19, com 174. Entre os idosos, que são grupo de risco para complicações da doença, foram 36 confirmações.

"A maior incidência é na população adulta, com menos casos entre os idosos. Isso pode explicar a nossa baixa letalidade", afirma Fabiana. São cinco mortes causadas pela doença em Araraquara.

Somando todos os casos (261), o sexo feminino apresenta mais registros: 150 contra 111 do sexo masculino. Já no quesito raça/cor, os casos se dividem entre branca (76%), parda (17%), negra (5%) e amarela (2%).  

Gráfico mostra casos distribuídos por faixas etárias (Arte: Prefeitura)


O Urbie da Ufscar é coordenado pelo engenheiro civil Bruno Joaquim Lima e pela arquiteta e urbanista Luciana Márcia Gonçalves, com a engenheira ambiental e sanitarista Tatiane Ferreira Olivatto e o engenheiro geólogo João Mateus Marão Domingues também trabalhando no projeto. Pela Vigilância, a enfermeira sanitarista Fabiana Araújo e o agente social Celso Luiz Biffe atuam nessa parceria.

Todas as estatísticas podem ser consultadas no seguinte endereço: https://arcg.is/neO5H.

PRECAUÇÃO 
Segundo Fabiana, a população precisa continuar atenta e tomando todas as precauções de higiene e de distanciamento social, saindo de casa somente se necessário, mesmo com a retomada dos atendimentos presenciais no comércio e em bares e restaurantes.

"O Governo do Estado autorizou a flexibilização da quarentena por causa da nossa estrutura de saúde, mas a população não deve ficar tranquila e se descuidar", afirma. Essa estrutura engloba o Hospital da Solidariedade (20 leitos UTI e 31 de enfermaria) e o polo de triagem da UPA da Vila Xavier.

A enfermeira da Vigilância alerta que reuniões de família têm representado grande risco de transmissão da doença e continuam sendo não recomendadas. "A gente está vendo muitas confirmações nos núcleos familiares extradomicílio. E não são de pessoas que moram na mesma casa, mas de cunhados, tios, primos, sogros. As famílias estão se reunindo, e isso ainda não é recomendado", orienta Fabiana.

Mais do ACidade ON