Aguarde...

cotidiano

Whisky apreendido pela Receita vira álcool em gel na Unesp

Testes já foram realizados e agora, a produção começa a ganhar volume; álcool em gel será doado para hospitais e asilos

| ACidadeON/Araraquara

Produção de álcool em gel é feita pela Unesp de Araraquara (Foto: Ilustração)
 
O Instituto de Química da Unesp Araraquara começou a produzir álcool em gel a partir de garrafas de whisky apreendidas pela Receita Federal em operações de fiscalização na região. Desde maio, início da pandemia do novo coronavírus, o instituto, que é comandado pelo diretor Eduardo Maffud Cilli, integra uma rede solidária de produção de álcool em gel com a ajuda de alunos, professores e pesquisadores voluntários para distribuição gratuita para entidades sociais.

O produto é feito a partir da doação de álcool puro por usinas e postos de combustíveis, matéria prima para a forma em gel. Porém, de acordo com diretor, representantes da Receita ofereceram a bebida apreendida como doação para a transformação nos laboratórios da universidade.

Inicialmente, apenas testes foram realizados com poucas garrafas. Com os bons resultados, novos lotes já foram destinados ao instituto, como explica o diretor.

"Inicialmente pegamos seis litros de whisky que rendeu vinte litros de álcool em gel, mas agora neste momento estamos com lote de doação de 500 litros e podemos fazer uma produção em maior escala. Os primeiros lotes foram testes e perceberemos que o produto é muito bom, inclusive com um cheiro bem agradável", diz Cilli.

E é justamente esse o diferencial do álcool em gel produzido pelo instituto de química de Araraquara. O produto é inteiramente aproveitado.

"Já existe outras formas de se fazer álcool em gel de whisky, mas onde só o álcool da bebida é utilizado. Neste caso usamos todo o whisky in natura para fazer o álcool em gel", explica,

No laboratório onde a transformação acontece, quem comanda todo o processo químico é o técnico Rafael Romano. De acordo com ele, para cada 3 litros de whisky, cerca de 7 litros de álcool puro são incorporados à bebida para que ela se transforme em um produto capaz de ser usado para na higiene das mãos, por exemplo.

Depois disso, um agente químico é acrescentado para dar forma de gel. Tudo é feito com muita segurança!

"O whisky tem em torno de 35% de álcool, então acrescentamos uma quantidade de álcool absoluto e colocamos o espessante. Fizemos todos os testes e está tudo liberado", explica Romano.

A Unesp Araraquara precisa, agora, de doação de álcool puro para dar continuidade à produção. Todo o álcool em gel produzido é destinado para hospitais, asilos e outras entidade da região. O diretor reforça que, embora o produto utilize bebida alcoólica, a ingestão dele é proibida.

"Em termos de utilização como agente desinfectante é perfeito, mas claro, que se for utilizado inadequando pode causa problemas para a saúde", diz.

As doações de produtos para a fabricação de álcool em gel podem ser combinadas pelo e-mail covid19.car@unesp.br.


Mais do ACidade ON