Aguarde...

cotidiano

Professora denuncia casos de covid e falta de testes na rede estadual

Secretaria do Estado de São Paulo confirma casos nas escolas Florestano Libutti e Narciso da Silva Cesar

| ACidadeON/Araraquara

Professora denuncia contaminação de covid-19 na Escola Estadual Florestano Libutti (Foto: Divulgação)
 

A professora Gabriela Medeiros dá aula na Escola Estadual professor Florestano Libutti, no Carmo, em Araraquara. Ela denuncia que educadores testaram positivo e tiveram contato com materiais dos estudantes, mas não houve nenhum tipo de testagem na unidade. 

"Não passam por testagem e também não é informado. Houve um caso na nossa escola, por exemplo, que a vice-diretora testou positivo e passou a semana inteira entregando materiais aos pais, teve contato com mais de 200 pessoas durante essa semana. Quando recebeu a notícia foi imediatamente afastada, mas aquelas pessoas não foram comunicadas", explica.

O Estado de São Paulo autorizou a retomada das aulas presenciais na rede estadual de ensino no dia 14 de abril. Mas a segurança em relação à covid-19 ainda é preocupação por parte dos profissionais da educação. 

À reportagem, a secretaria da Educação do Estado confirma um caso de covid na escola Florestano Libuti e fala que os profissionais que testaram positivo estão afastados. Porém, segundo a professora existem mais positivações. 

"Onde trabalho são cinco casos confirmados. Tenho informação da escola Narciso com três casos, da escola Ergília com quatro casos e, assim, provavelmente outras escolas possuem casos e não são fechadas, apenas o profissional é afastado e não tem testagem", denuncia. 

A pasta não confirmou a informação. O Estado diz que na Escola Estadual professora Ergília Micelli não houve registros de covid, enquanto na Estadual Narciso da Silva Cesar foi confirmado um caso. 

E com a infecção de alguns profissionais, a educadora fala que não sente segurança com as medidas adotadas nas escolas. 

"A gente comunica a direção, eles comunicam a Diretoria de Ensino e o profissional só é afastado. Não tem nenhum cuidado, a escola não é fechada, não tem testagem, só se outros profissionais se sentirem ameaçados, que vão fazer esse teste ou não. A escola não é fechada, a Diretoria de Ensino instrui para não fechar e divulgar esses casos", finaliza.

De acordo com Educação paulista, a interrupção temporária das atividades escolares presenciais pode ser determinada pelas autoridades sanitárias, como parte dos protocolos a serem seguidos. 

O Estado ainda fala que o fechamento das escolas nestas situações é uma medida importante para isolar casos e garantir a não transmissão da covid-19 na comunidade escolar.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON