Aguarde...

cotidiano

Amigos fazem homenagem à servidora que morreu vítima da covid

Queli Fernandes morreu no último domingo (2), aos 45 anos; sindicato afirma que sua morte não será em vão

| ACidadeON/Araraquara

 

Familiares, amigos e colegas de trabalho homenagearam a servidora da Educação, Queli Fernanda Geraldo Fernandes, na manhã desta terça-feira (4). Ela morreu no último domingo (2), vítima da covid-19, após cinco dias internada. 

Uma faixa em frente ao CER José Alfredo do Amaral Gurgel, no Jardim Adalberto Roxo, levava os dizeres "sua morte não será em vão" e a "vida tem que ser prioridade da Educação". O ato foi organizado pelo sindicato dos Servidores Municipais de Araraquara e Região (SISMAR). 

Com um botão de rosa em mãos, a professora da instituição, Joana DArc de Holanda, de 58 anos, disse que não deveria haver pressa para o retorno às aulas, e que todos estão preocupados e com o psicológico abalado. 

"A gente sabe que esse vírus não escolhe. É uma roleta russa, você está em um lugar, começa a contaminar e não sabe se é o próximo ou não é. Nosso psicológico, onde fica? Temos que estar com ele bom para atender essas crianças, como atende com medo? Uma semana depois que estávamos com os alunos, aconteceu essa tragédia", relata.  

Colegas deixaram flores em frente ao CER em que Queli trabalhava, no Adalberto Roxo (Foto: Milton Filho/CBN Araraquara)

Queli tinha 45 anos e não fazia parte do grupo prioritário para vacinação. Ela era agente educacional do CER do Adalberto Roxo - o primeiro a ser interditado pela Prefeitura após funcionários testarem positivo para doença. 

Para o presidente do sindicato, Gustavo Jacobucci, o ato nesta manhã serve como alerta para as autoridades locais. Segundo ele, não é seguro obrigar os servidores a retornarem para as salas de aula, sem que todos sejam vacinados. 

"Como uma cobrança para a administração, que insiste em manter as escolas abertas e por outro lado tem pessoas, crianças, pais, funcionários sendo infectados, até a gente perder a nossa colega a mais vários que estão internados neste momento", explica 

"Com as duas doses da vacina, 15 dias depois da segunda dose e todos os protocolos, pois desse modo seria o mínimo para voltar", completa, ao responder sobre qual retorno das aulas defende a categoria. 

Durante a homenagem, amigos deixaram flores no portão da unidade. Ao fundo, um carro de som tocava a homenagem feita por Queli a todos os servidores, no Dia do Servidor, em 28 de outubro do ano passado. 

"Como demonstração de carinho, que nos tenhamos muita força, paciência, a luta é grande, mas nos somos vencedores, somos responsáveis, capazes", diz Queli.  

Servidora da Educação de Araraquara, Queli Fernanda Geraldo Fernandes, tinha 45 anos

A agente operacional, Juliana Toledo Bento, destacou a proximidade que ela tinha com a colega e que é "difícil de aceitar".
"Desde o começo aqui com a Queli, sempre muito querida, brincalhona e uma pessoa muito especial. A gente não está acreditando que isso pode ter acontecido, ela não tinha comorbidades, pois se tivesse, estaria afastada. Era uma pessoa que sentia muito medo, já tinha pego dengue e é inexplicável. É difícil aceitar", ressalta. 

No dia da morte da servidora, a prefeitura disse que se solidarizava com a família vítima. "São vítimas das mais diversas profissões e localidades da nossa cidade", o que "demonstra a necessidade de seguir trabalhando para controlar a covid-19", dizem trechos da nota. 

"A Prefeitura continuará testando a nossa população para localizar a doença e cuidar dos contaminados. Vamos continuar testando os servidores da educação, bem como os alunos que, por vulnerabilidade social e dificuldade de aprendizagem em casa, voltaram para as atividades escolares. Só assim manteremos todos os protocolos sanitários para que as atividades escolares ocorram de forma segura, como tem sido", finaliza.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON