Aguarde...

cotidiano

Com Araraquara a beira do lockdown, Edinho diz que quer evitar mortes

Edinho Silva (PT) diz que Araraquara vive um novo agravamento da pandemia do coronavírus e só a vacinação e o isolamento social podem ajudar

| ACidadeON/Araraquara

UPA da Vila atende pacientes com covid-19 em Araraquara (Foto: Amanda Rocha/ACidadeON)
 
Araraquara atinge nesta quinta-feira (10), o índice de lockdown pela segunda vez por causa da confirmação recorde de novos casos de covid-19.  

O decreto vigente prevê um lockdown de sete dias caso o número de positivados alcance um determinado índice em três dias consecutivos ou cinco dias em um período de uma semana. Esse índice é referente a 20% de todos os exames realizados ou 30% das pessoas sintomáticas. O índice foi batido na terça-feira (8) e nesta quinta-feira (10).  

A situação de Araraquara é grave com recorde de positivados para covid-19, 281 no total nesta quinta-feira. "Nunca desde o início da pandemia se bateu este número, isso infelizmente significa que destas 281 cerca de 15 vão morrer", afirma o prefeito Edinho Silva (PT) em mais um apelo para o isolamento social feito nas redes sociais.  

"Mesmo você que politiza a pandemia, tenho certeza que tem sensibilidade e se coloque o meu lugar no lugar da secretária de saúde. O que você faria? Deixaria estas pessoas morrerem, são pessoas que deixam famílias, sonhos", diz Edinho.  

De acordo com o último boletim do Comitê de Contingência do Coronavírus, a taxa de ocupação de leitos estava em 68% na enfermaria e 87% na UTI, com 208 pacientes internados no SUS e na rede privada. Deste total, 112 são moradores de Araraquara e 96 são de outros municípios e foram transferidos para hospitais da cidade. Até a última sexta-feira (4), a situação era a inversa. 

"Estamos ficando sem leito, não vai ter leito para quem precisar e temos dois caminhos, a vacinação em massa e o isolamento social. Da maneira como está o lockdown será inevitável", reforça Edinho Silva.

CASOS 
Junho já registrou 1608 casos. Em 10 dias, a cidade praticamente atingiu o total de confirmações de abril (1659), pós lockdown. 

Desde a primeira semana de maio, a cidade vive alta de casos. Especialistas apontam a falta de distanciamento social como o principal motivo para a piora nos indicadores.

A média móvel do número de casos de covid-19 em Araraquara subiu 235,8% de maio a junho e colocou o município em estado de alerta máximo.

Em fevereiro, o município foi o primeiro do país a ter 10 dias de confinamento para conter a doença. Os números de internações, casos e mortes caíram após as medidas mais restritivas mas, nas últimas semanas, voltaram a crescer.

Desde o início da pandemia já são 23088 casos e 459 mortes.

O prefeito Edinho Silva disse que apenas a vacina pode mudar este cenário. E enquanto ela não está disponível para todos é preciso o isolamento. 



Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON