Especial Covid-19

Especial coronavirus

Veja quais são os sintomas da variante Delta, que já chegou ao interior de São Paulo

Pneumologista Dr. Flávio Arbex explica como as manifestações da nova variante do coronavírus são ligeiramente diferentes das apresentadas pela cepa original

| ACidadeON/Araraquara -

Já foram registrados casos da nova variante no interior de São Paulo (Imagem: Pixabay)
No início deste mês, a Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo informou ter detectado o primeiro registro da variante Delta da covid-19 na capital. Ao todo, o Brasil já confirmou 11 casos dessa nova alteração do coronavírus original, o que tem levantado diversas dúvidas sobre como os sintomas se diferem das outras versões do Sars-Cov-2. 

Segundo o pneumologista Dr. Flávio Arbex, é preciso atenção, pois apesar de algumas diferenças, a Delta também pode ser confundida com a gripe. "Uma pesquisa da Universidade Kings College London mostra que os sintomas mais comuns produzidos pela variante Delta são as dores de cabeça, seguidos por dor de garganta, coriza e febre. Diferente da cepa original do vírus, essa alteração não possui tantas ocorrências de tosse ou perda de olfato e paladar".


O especialista ainda explica que a variante é comprovadamente mais transmissível do que as outras versões do vírus, conforme apontaram o governo britânico e o estudo escocês publicado no periódico The Lancet, que viram o número de casos que exigiram internação crescer em seus países após a chegada da Delta.

Desde que começou a se disseminar pelo mundo, a partir da Índia, essa variante já chegou a cerca de 100 países, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). "Países como Israel, onde já havia sido desautorizado o uso de máscaras, voltaram a utilizar o item de proteção pessoal em ambientes fechados devido a disseminação mais rápida dessa variante", diz Arbex.

Dessa forma, os jovens devem tomar mais cuidado, pois são um importante veículo para a transmissão dessa variante, já que a chance dos idosos, teoricamente já vacinados, contraírem a doença é consideravelmente menor. "Também vale frisar que dentre as vacinas em aplicação no país, a Jansen, de aplicação única, assim como a Pfizer e a Astrazeneca já foram testadas e se mostraram eficazes contra essa variante, porém apenas após tomadas ambas as doses dos imunizantes".

O pneumologista ainda comenta que o panorama futuro do país em relação a variante Delta ainda é incerto, pois embora o número de casos, mortes e internações venha diminuindo com o avanço da vacinação, o Brasil ainda mantém um alto patamar de transmissibilidade do vírus. "No momento a variante de Manaus é predominante entre a nossa população, então todos os cuidados devem ser mantidos até que tenhamos novas informações sobre como essa nova versão irá se manifestar no país". 
  
INTERIOR
Dois pacientes do interior de São Paulo foram diagnosticados com a variante delta da covid-19. É o terceiro caso confirmado da nova cepa no estado. Os novos casos foram confirmados em um homem, de 44 anos, que mora em Pindamonhangaba, e em uma mulher, de 30 anos, de Guaratinguetá.   

Os dois tiveram apenas sintomas leves, informou a Secretaria Estadual de Saúde nesta sexta (16).  A nova variante foi identificada por sequenciamento genético feito pelo Instituto Butantan. Os municípios e o governo estadual ainda estudam se houve transmissão comunitária nesses casos.

Mais notícias


Publicidade