Especial Covid-19

Especial coronavirus

Variante delta possui alto risco de transmissão mesmo em ambientes abertos

A infectologista explica o comportamento dessa nova mutação da covid-19

| ACidadeON/Araraquara -

Cuidados com a variante delta deve ser até em ambientes abertos  (Imagem: Pixabay)


Mesmo após um ano e meio desde o início da pandemia do coronavírus, a ciência tem orientado a população a respeito de constantes modificações nos padrões de comportamento exigidos para conter a disseminação da covid-19. Com a chegada da variante delta no Brasil, a infectologista Ana Rachel Seni Rodrigues explica que todos devem se manter atentos, mesmo quando estiverem em ambientes abertos e ventilados. 

"Anteriormente havia uma preocupação ligeiramente menor quanto a utilização de máscaras quando se estivesse em locais ao ar livre e com um determinado distanciamento social, porém, estudos já comprovaram que a delta se transmite muito mais facilmente, o que aumenta o alerta para que a população se proteja e evite grandes aglomerações", explica a especialista. 

Ana também reforça que pessoas que tenham completado o esquema vacinal com as duas doses ou vacina de dose única se tornam menos propensas a desenvolver um quadro grave ou mortal da doença. Países onde o índice de vacinados encontra-se muito baixo ou onde a população rejeita a vacina também têm se mostrado locais de proliferação, "como os Estados Unidos, onde 93% dos casos são da variante delta, de acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças". 

No Brasil, segundo dados do Instituto Butantan, embora a prevalência de casos de covid ainda se dê pela variante gama, a prefeitura de São Paulo informa que a Delta já é responsável por cerca de 70% dos novos registros da doença na cidade, enquanto no Rio de Janeiro, o secretário municipal de Saúde declarou que quase 90% dos casos também já correspondem a variante. 

Para a infectologista, o mais importante nesse momento é entender que os anúncios de grandes eventos devem ser vistos com atenção. "A população precisa estar constantemente alerta a situação da pandemia de forma que possa se proteger além das vacinas e do uso de máscaras, abrangendo também a consciência social de que determinados locais ainda devem ser evitados."

Mais notícias


Publicidade